Translate

domingo, 22 de maio de 2016

RESENHA HQ: Batman: O nascimento do demônio, partes 1 e 2 (DC Comics Coleção de Graphic Novels volumes 15 e 16 da Eaglemoss).

BATMAN: O NASCIMENTO DO DEMÔNIO – PARTES 1 E 2 (DC Comics Coleção de Graphic Novels volumes 15 e 16 da Eaglemoss).

Roteiros: Mike W. Barr, Dennis O’Neil
Desenhos: Jerry Bingham, Tom Grindberg, Neal Adams, Norm Breyfogle,
Artes-finais: John Costanza, Gaspar Saladino, Dick Giordano
Título original: Batman: Birth of the demon, parts 1 and 2

Há tempos atrás surgiu a Saga do Demônio, que contava a história do líder extremista Ra’s Al Ghul contra o justiceiro de Gotham, Batman. Essa saga era dividida em três partes, que eram consideradas como parte da linha “Eslworlds”. Nela o Batman chega a se aliar ao seu inimigo, mas nas outras duas partes eles se tornam inimigos. Não são continuidades, pois histórias são contadas de formas diferentes. Na última parece ser uma decisiva história de ambos os inimigos, mas Ra’s Al Ghul se tornou para Batman, algo semelhante a Moriarty para Holmes, ou seja, são inimigos eternos, rivais que enganam a própria morte para se enfrentarem. “O Filho do Demônio”, “A Noiva do Demônio” e “O Nascimento do Demônio” foram obras escritas por Mike W. Barr e Dennis O’Neil – também criador de Ra’s Al Ghul, junto com Neal Adams – e nela vemos como dois inimigos se opõem até que a morte leve um dos dois.
O Filho do Demônio – Um grupo extremista tenta matar várias pessoas que eles mantêm como refém, mas terminam detidos pelo Batman. O Cavaleiro das Trevas acredita que o grupo tenha alguma ligação com um de seus piores inimigos, Ra’s Al Ghul, líder de uma organização extremamente perigosa que age de forma a causar terror no objetivo de manter o meio ambiente saudável. Mas termina descobrindo que não é seu inimigo o culpado, pois este o procura e diz que um antigo aprendiz dele está por trás dos ataques, Qayin.

Este inimigo, também, foi o responsável pela morte da esposa de Ra’s, mãe de Talia, e ambos buscam por vingança e convidam Batman para enfrentar, junto a eles, Qayin. A batalha para vencê-lo é tênue, mas em meio a isso, Talia fica grávida do Batman e, quando aparentemente o filho deles é dado como morto, o Cavaleiro das Trevas e Ra’s partem, juntos, para a vingança contra o inimigo.
A Noiva do Demônio – Ra’s Al Ghul está à beira da morte, mas antes pretende deixar mais do que sua filha como herdeira de seu trono a frente da Liga dos Assassinos e, para isso, toma uma atriz em decadência e a abençoa com um mergulho ao Poço de Lázaro, tornando-a sua esposa. Em outro momento, Batman investiga uma tragédia com ozônio, que envenenou pilotos de um avião, fazendo-o cair e matando centenas de pessoas.
Batman desconfia de Ra’s Al Ghul e sua Liga de Assassinos e, quando descobre que um especialista em estudo sobre ozônio está relacionado a Ra’s, Batman decide ir atrás e termina cruzando o caminho de Talia, que tem como missão matar o Homem-Morcego. Ela falha e na luta entre Batman e os soldados de Ra’s Al Ghul, o filho do cientista é mortalmente ferido. Examinando-o, Batman tira as esperanças de o jovem viver, mas o cientista não desiste, e com a promessa de Al Ghul que o jovem viverá, o leva para a base secreta da Liga dos Assassinos, mas são seguidos pelo Cavaleiro das Trevas, que está determinado em deter todos os planos de Ra’s e destruir, mais uma vez, a base de seu inimigo.
O Nascimento do Demônio: Batman descobre que Ra’s Al Ghul tem tentado reencontrar locais onde ele havia se banhado nos poços de Lázaro. Em uma das tentativas de deter os soldados de Al Ghul, Batman termina caindo em detritos tóxicos. Mesmo sentindo as reações aos detritos, O Homem-Morcego não desiste e reencontra Talia Al Ghul, filha de seu inimigo e sua amada. Ela lhe conta as origens secretas de Ra’s Al Ghul, nas antigas civilizações e as descobertas dos Poços de Lázaro. Após isso, Ra’s surge e um embate titânico dá-se início, onde possivelmente somente um dos dois guerreiros sairá como vencedor.

Mesmo que as histórias sejam graphic novels de encontros entre Batman e Ra’s Al Ghul, elas não têm ligações. Cada uma assume um determinado trabalho dos roteiristas.
A primeira história, “O Filho do Demônio” conta uma versão da história de Talia ser filha de Ra’s, mas na última história, “O Nascimento do Demônio” temos uma história totalmente divergente. Talvez seja por causa de que a história escrita por Mike W. Barr fosse considerada, em outro momento, como um Elseworld, ou seja, ela acontece em outra realidade. Já a segunda história foi escrita pelo criador de Ra’s e Talia, Dennis O’Neil, colocando como a história original. Só que o nascimento do filho de Talia e Bruce foi reconsiderado e recontado pelo escritor Grant Morrison (Batman e Filho), que confessou desconhecer a história de Barr, somente conhecendo que eles tinham um filho. Sendo assim, Damian Al Ghul surge no universo do Cavaleiro das Trevas.

Mesmo sendo histórias sem ligações, todas as três mostram uma ação e algo que sempre os fãs de Batman gostaram de ver nele, que é sua determinação e sua vontade de lutar contra aqueles que desejam ir contra a vida humana. Ele empenha todo seu talento detetivesco na intenção de deter Ra’s Al Ghul e suas ambições.
A história “O Nascimento do Demônio” também nos traz outro fator muito interessante que é como um jovem cientista se tornou Ra’s Al Ghul. Sim, nem sempre esse foi o nome do eco terrorista, líder da Liga dos Assassinos – uma questão, apesar de eu mencionar o nome da organização, ela não é mencionada em nenhum momento nas três histórias – e um dos grandes inimigos do Batman. Quando vemos sua história, escrita pelo renomado Dennis “The Real Batman” O’Neil, chegamos a entender toda sua sede por destruição da humanidade, toda sua raiva pelo mundo... até Batman nos colocar no eixo, mostrando que ele sua vingança é questionável.
A saga do Demônio são algumas das três melhores graphic novels escritas sobre o Homem-Morcego, pois nos traz o Batman em uma ação desenfreada, seja para auxiliar ou para lutar contra seu inimigo mortal. Ele faz o extremo para contra-atacar Ra’s Al Ghul ou para ajudá-lo a lutar contra seus inimigos. Mais uma vez foi uma acertada escolha para fazer parte dessa coleção.
E as duas edições também trazem outras histórias de confrontos entre os dois inimigos. No volume 15, vemos a primeira aparição de Ra’s Al Ghul em Batman #232 (junho de 1971), onde sua filha, Talia, e Robin “Grayson” foram sequestrados, possivelmente, pela mesma pessoa. Ambos se unem para desvendar quem fora o sequestrador, mas a surpresa do nome do sequestrador é fantástica.
No volume 16, vemos Ra’s Al Ghul procurando Batman para que ele use seus talentos detetivescos para ajudá-lo no caso de um cientista que roubou um veneno mortal que, se for exposto ao ar, matará a todos em um instante. Batman precisa esquecer as diferenças de ambos para salvar a humanidade de mais uma tentativa de Al Ghul de extermínio total.
No próximo volume teremos a minissérie publicada entre as edições 14 e 17 da revista “Wonder Woman” (janeiro-abril de 2008), escrita por Gail Simone e desenhada por Terry Dodson, onde a Mulher-Maravilha ajuda o Departamento de Assuntos Meta-Humanos a enfrentar o Capitão Nazista, as amazonas Alcione, Charis, Myrto e Filomela e a Sociedade de Super-Vilões. A história acontece logo após a minissérie “Ataque das Amazonas” (junho-outubro de 2007).

A Coleção DC Comics de Graphic Novels pode ser adquirida em bancas e lojas especializadas, mas você também pode compra-la no site da Eaglemoss Brasil na internet ou fazer a assinatura, onde poderá adquirir vários brindes exclusivos.