Translate

quinta-feira, 10 de março de 2016

RESENHA SÉRIES: Agente Carter (Marvel’s Agent Carter. 2016)

AGENTE CARTER (Marvel’s Agent Carter. 2016).

Roteiros: Lindsey Allen, Tara Butters, Sue Chung, Chris Dingess, Brandon Easton, Brent Englestein, Michele Fazekas, Jose Molina, Eric Pearson.
Produção: Tara Butters, Jim Chory, Chris Dingess, Louis Esposito, Michele Fazekas, Kevin Feige, Alan Fine, Stan Lee, Jeph Loeb. Christopher Markus, Stephen McFeely, Joe Quesada.
Direção: Jennifer Getzinger, Metin Hüseyin, David Platt, Lawrence Trilling, Craig Zist.
Elenco: Hayley Atwell, James D’Arcy, Enver Gjokaj, Chad Michael Murray, Dominic Cooper, Wynn Everett, Reggie Austin, Bridget Regan, Lesley Boone, Currie Graham, Lotte Verbeek, Kurtwood Smith, Matt Braunger, Ken Marino, Ray Wise, Sarah Bolger.

Peggy Carter (Hayley Atwell) voltou para uma segunda temporada, agora com dez episódios. Dessa vez ela desembarca em Los Angeles, Califórnia, onde reencontra vários conhecidos e busca desvendar um novo mistério.
Em Los Angeles, a SSR (sigla para Reserva Científica Estratégica, em inglês) da Costa Oeste é liderada por Daniel Sousa (Enver Gjokaj) que pede ao chefe da sede em Nova Iorque, o agente Jack Thompson (Chad Michael Murray), ajuda para um caso extremamente estranho. Este envia Peggy, que após capturar a agente russa Dottie Underwood (Bridget Regan), terá de assumir esse novo caso.
Chegando em Los Angeles, Peggy é recepcionada por Jarvis (James D’Arcy), o fiel mordomo de Howard Stark (Dominic Cooper). Inicialmente o caso é de uma moça que morreu congelada em um lago congelado, mas Carter descobre que existe muito mais por trás disso tudo, só que envolve uma organização de pessoas poderosas que podem destruir sua carreira e de todos a sua volta. Mas como é típico de Peggy Carter, ela não esmorece.
Contando com a ajuda de Sousa, Jarvis, Stark, Dr. Samberly (Matt Braunger), Rose (Lesley Boone) e Dr. Jason Wilkes (Reggie Austin), Peggy descobre que uma organização conhecida como o Conselho, apoia testes nucleares e pretendem fazer uso da matéria escura, uma anomalia que pode devorar tudo a sua volta, extensamente pesquisada pela brilhante cientista e atriz Whitney Frost (Wynn Everett).
Não posso entrar em mais detalhes para não dar spoilers, mas mais uma vez “Marvel’s Agent Carter” se mostrou uma série excelente. A trama é bem elaborada, Hayley Atwell se mostra cada vez mais afeiçoada a personagem, tem vilões muito interessantes, desdobramentos inesperados. Sinceramente – como ainda não estreou Luke Cage, Punho de Ferro e Most Wanted – é a terceira melhor série da Marvel Studios.
A mudança de ares para Peggy Carter só lhe trouxe mais desenvoltura, pois ela não é tratada somente como uma mulher que trabalha com homens, ela é levada mais a sério. Isso sem contar que mais atrizes fortes são apresentadas.
Além de Peggy e da espião russa Dottie, temos a cientista e atriz Whitney Frost – interpretada brilhantemente por Wynn Everett – que faz o papel antagonista nessa nova trama. Ela demonstra ser um gênio comparado a todos os outros cientistas que surgem na série, tanto que para superá-la é necessário que Stark, Samberly e Wilkes trabalhem juntos, ou seja, são três mentes buscando a superação de uma.
Outra personagem forte é a esposa de Edwin Jarvis, Ana Jarvis (Lotte Verbeek), que demonstra ser uma mulher espontânea e que apoia o marido constantemente, mesmo que se preocupe com ele nas aventuras ao lado de Peggy.
Também temos o retorno da atendente Rose (Lesley Boone), que fez breves aparições na primeira temporada, mas nessa tem uma participação muito especial, além de fazer par romântico com Dr. Samberly.
Temos também a breve participação da enfermeira Violet (Sarah Bolger), noiva do Chefe Sousa, que tem extrema importância para o desenrolar da trama.
Além de Whitney Frost, temos outros vilões que trabalham ao seu lado, como seu marido Calvin Chadwick (Calvin Graham), candidato a senador da Califórnia. O capanga Joseph Manfredi (Ken Marino), que faz trabalhos sujos para a organização na qual Chadwick e ligado e cujo líder é o empresário Hugh Jones (Ray Wise), que desenvolve ogivas nucleares em sua empresa.
Com a ampliação de episódios, a série pode explorar também mais o personagem Edwin Jarvis, mostrando mais momentos engraçados com ele e, até mesmo, de tensão. Bem como colocar mais uma pitada de humor com o personagem Dr. Samberly, que mesmo sendo um gênio, passa despercebido na SSR por viver enfurnado em seu laboratório.
Mesmo sendo independente dos acontecimentos das outras séries e dos filmes da Marvel Studios, “Marvel’s Agent Carter” faz uma grande ligação a “Marvel’s Agent of S.H.I.E.L.D.”. Além de mostrar a matéria escura – assistam a terceira temporada de MAoS –, também mostra que o Conselho, ao qual Chadwick, Jones e o agente do FBI Vernon Masters (Kurtwood Smith) fazem parte é a mesma que vem atormentando Coulson e seu time na atual temporada.

“Marvel’s Agent Carter” se estabeleceu e se tornou uma série única. Ela envolve tramas policiais, espionagens, romances, tendo vários toques de humor, suspense e até paranormalidade. Ela é feita para fãs de vários estilos, pois encontrarão sempre ação com um ótimo toque feminino que somente Peggy Carter pode dar.