Translate

sábado, 20 de fevereiro de 2016

RESENHA HQ: LJA: Ano Um (DC Comics Coleção de Graphic Novels Volumes 9 e 10 da Eaglemoss).

LJA: ANO UM (DC Comics Coleção de Graphic Novels Volumes 9 e 10 da Eaglemoss).

Roteiro: Mark Waid, Brian Augustyn, Gardner Fox, Edmond Hamilton.
Desenhos: Barry Kitson, Mike Sekowsky, Sheldon Moldoff.
Arte-Final: Michael Bair, Barry Kitson, Mark Propst, John Stokes, Bernard Sachs, Charles Paris.
Título Original: JLA: Year One

“Nos próximos dias e meses, eles se posicionarão frente a qualquer desafio... enfrentarão todo e qualquer inimigo para inspirar não apenas esta, mas as gerações futuras também, servindo ao próximo com atos de heroísmo e bravura, que, sem sombra de dúvida, se tornarão lendários para todo o sempre”.

Em novembro de 1988, Keith Giffen e Peter David escreveram uma nova origem para um dos maiores super-grupos dos quadrinhos, a Liga da Justiça da América. A história, desenhada por Eric Shanower, contava como eles enfrentaram uma invasão alienígena e venceram.
Lanterna Verde “Jordan” enfrentou um pássaro gigante amarelo em Coast City, Canário Negro “Laurel” encarou um ser de vidro em Star City, Aquaman derrotou um ser de mercúrio no mar, Flash “Allen” encarou um ser de fogo em Keystone City, o Caçador de Marte enfrentou um monstro de pedra e a união dos cinco derrotou um ser de madeira. Quando partiram para encarar a sétima ameaça, viram-no derrotado pelo Superman, que não aguardou-os (ele tinha de encontrar-se com Lois Lane). Como perceberam que a união de seus poderes poderia ser uma forte aliada no combate a vilões poderosos, eles decidiram formar a Liga da Justiça.

É desse ponto que essa minissérie em 12 partes, escrita por Mark Waid e Brian Augustyn, desenhada – e em parte arte-finalizada – por Barry Kitson e arte-finalizada por Michael Bair, Mark Propst e John Stokes, parte. Na história, a Liga da Justiça precisa enfrentar o grupo Locus que pretende resgatar os corpos dos alienígenas para emular os poderes destes para sobreviver a um possível holocausto que está para ocorrer na Terra.

O que é legal na história não é somente a intriga e a ação que rola, mas também as histórias internas, as esperanças, as decepções, as descobertas.
Canário o tempo todo menciona a Sociedade da Justiça da América, que sua mãe fez parte no passado, como se eles fossem melhores do que seus colegas de grupo. Lanterna Verde demonstra uma prepotência contínua e uma dificuldade em trabalhar em grupo. Flash sente dificuldades com sua vida dupla, percebendo a possibilidade de perder sua noiva, Iris Allen. Aquaman tem dificuldades para se adaptar ao grupo e ao ambiente que está vivendo. O Caçador de Marte com seus mistérios e surpresas. Algumas dessas estranhezas dificultam o entrosamento entre a equipe, mas não a impede que funcione em um campo de batalha.

É uma excelente história de formação de equipe, com altos e baixos, busca por uma união mesmo com as diferenças. Amizades são consolidadas a partir dessa minissérie, bem como legados são passados. “LJA: Ano Um” foi uma excelente construção de uma equipe histórica.
Na primeira edição, também vemos a formação clássica da Liga da Justiça da América em Lustice League of America #9 (02/1962). Não é o primeiro encontro, pois eles haviam se encontrado em The Brave and the Bold #28 (03/1960), mas foi considerado como o momento de formação do grupo. Eles eram formados por Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash, Lanterna Verde, Aquaman e Caçador de Marte, chamados de “As Sete Maravilhas”.
Na história, escrita por Gardner Fox e desenhada por Mike Sekowsky, Caçador de Marte, Aquaman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde, Flash, Superman e Batman, em comemoração aos três anos de formação da equipe, contam ao jovem Snaper Carr e ao Arqueiro Verde como o grupo surgiu. Eles enfrentaram um grupo de alienígenas que havia vindo do planeta Apellax para a Terra no intuito de quem se tornaria o novo líder do planeta, o novo Kalar. O Caçador enfrentou um humanoide de pedra, Aquaman enfrentou um ser de vidro, Mulher-Maravilha encarou um ser de mercúrio, Flash derrotou um ser de fogo, Lanterna Verde derrotou um pássaro gigante, os cinco unidos encararam um ser de madeira, enquanto Superman e Batman enfrentaram um ser de diamante. A partir daí a LJA surgiu. Existe uma história – já é quase um mito – que Julius Schwartz – publisher da DC Comics na década de 1960 – e Martin Goodman – ex-proprietário da Marvel Comics – jogavam golf quando Schwartz falou a Goodman que estava criando um novo grupo de super-heróis com os personagens que ele havia lançado há pouco tempo. Foi então que Goodman encomendou com seu sobrinho, Stan Lee, um grupo de personagens e assim surgiu o Quarteto Fantástico, surgindo a Marvel Comics. A história foi contada por muito tempo por Schwartz.
Já na história do segundo volume, vemos a criação do Caçador de Marte em Detective Comics #225 (11/1955). Ele é o alienígena J’onn J’onzz e é trazido a Terra pelo Dr. Mark Erdel. Após terem uma breve conversa sobre levar J’onn de volta, o professor termina falecendo e prendendo o Caçador na Terra, sem possibilidade de retorno. Então ele se disfarça no detetive John Jones e ajuda a polícia a desvendar casos.
A próxima edição trará um dos marcos na história do Batman. “Batman: Morte em Família”, história de Jim Starlin e desenhos de Jim Aparo e arte-final de Mike DeCarlo, virá com uma das grandes tragédias na vida do Homem-Morcego.

A coleção pode ser adquirida em bancas e lojas especializadas, mas também pode ser através de assinatura no site da Eaglemoss Collections, que também oferece brindes muito legais. A Loja Eaglemoss também disponibiliza números separados da assinatura.