Translate

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

As músicas nos trailers do Esquadrão Suicida.

No dia 20 de janeiro de 2016, a Warner Bros. lançou o segundo trailer de “Esquadrão Suicida” durante o DC Films presents: Dawn of the Justice League, apresentado por Kevin Smith e Geoff Johns. O filme estreia em 04 de agosto de 2016 e David Ayer vem guardando bastante suspense quanto ao “vilão” da história, mesmo que alguns especulem que seja Magia (Cara Delevingne). Mas eu não vim conversar sobre isso aqui, pois após o lançamento do trailer, eu já vi pessoas fazendo comparações com o último trailer de “Guardiões das Galáxias”, devido uso de músicas que fizeram sucesso na década de 1980. Sinceramente, nunca vi comparação tão sem fundamento quanto essa.
Por que isso? Bem, enquanto a ideia das músicas em “Guardiões das Galáxias” queria fundamentar o fato de que Peter Quill (Chris Pratt) havia sido sequestrado por seres espaciais na década de 1980 e tudo que ele tinha era o seu mix, para lembrar-se de casa, da mãe e tal (tô ainda tentando descobrir como ele conseguiu um tocador de fitas K7 no espaço), as músicas que compõem os dois trailers de Esquadrão Suicida (sim, pois mais de três minutos de trailer não é teaser... e nunca será!) são totalmente dentro do contexto dos temas.
Vamos começar pela primeira. “I Started a Joke” é uma composição dos irmãos Maurice Gibb (1949-2003), Robin Gibb (1949-2012) e Barry Gibb, membros do grupo Bee Gees, feita em 1968. O trecho que aparece no trailer: Eu comecei uma piada/Que fez o mundo inteiro chorar/Mas eu não vi/Que a piada era eu; entra no contexto do que nos é apresentado no trailer, pois ele nos mostra um tipo de piada macabra na qual Amanda Waller (Viola Davis) diz durante um jantar com um militar e um político, onde ela pretende formar um grupo com “os piores dos piores”, e que “[...] se algo acontecer, nós os culparemos e negaremos tudo”. Quando questionada como os controlará, ela diz “[...] fazer as pessoas agirem contra os seus interesses é o meu trabalho”. A introdução da música do Bee Gees entra logo após essa conversa, cantada de uma forma bem... sinistra pela cantora Becky Hanson, dando o tom ideal para o lado obscuro do filme.
O segundo trailer abre com a música “Bohemain Rhapsody”, do Queen. Escrita e cantada por Freddie Mercury (1946-1991), a música foi composta em 1975 e as partes mostrada no trailer falam sobre insanidade, assassinato e suicídio: “Isso é a vida real?/Isso é só fantasia?/Pego num desmoronamento/Sem escapatória da realidade//Abra seus olhos/Olhe para os céus e veja/Eu sou só um pobre garoto/Eu não preciso de compaixão/Porque eu fácil venho, fácil vou/E possuo altos e baixos/De qualquer jeito o vento sopra/Nada realmente importa para mim”; ou seja, mais dentro da ideia do filme seria impossível. É interessante como ela casa com o que você vê no trailer, a fantasia em meio à realidade, sem poder escapar dela. Um total desequilíbrio mental de alguns e a desesperança – percebe-se isso ao ver enquanto Floyd Lawton (Will Smith) observa a chuva por uma fresta de sua cela em Belle Reeve – em outros. A parte do assassinato e suicídio aparecem no restante do trecho: “Mamãe, acabei de matar um homem/Coloquei uma arma contra sua cabeça/Puxei o gatilho, agora ele está morto/Mamãe, a vida acabou de começar/Mas agora eu joguei tudo isso fora/Mamãe, oh!/Não foi minha intenção te fazer chorar/Se eu não estiver de volta a esta hora amanhã/Continue, continue/Como se nada realmente importasse/Tarde demais, chegou minha hora/Sinto arrepios em minha espinha/Meu corpo está doendo todo o tempo/Adeus a todos, eu tenho que ir/Tenho que deixar todos vocês para trás e encarar a verdade/Mamãe, oh!/(De qualquer jeito o vento sopra)/Eu não quero morrer/Às vezes eu desejo nunca ter nascido!”; é impressionante como Ayer conseguiu contextualizar bem os temas.
O talento do diretor é claro, pois quem vê “Corações de Ferro” (Fury, 2014) percebe como ele consegue trabalhar um filme de ação, envolvendo o drama de vários personagens. Mesmo que existam poucos protagonistas, ele trabalha a identidade de cada um de forma que você entenda-os dentro do filme. A questão das músicas sendo usadas nos trailers de “Esquadrão Suicida”, tem como principal objetivo mostrar o que ocorre, mostrar que o psicológico, que o sombrio fará parte do filme. Elas não são somente músicas famosas usadas para dar um ritmo ao filme, elas são colocadas com o objetivo de contextualizar o que você está vendo.
Não somos estadunidenses. Nossa língua natal é o português, mas com certeza, para as pessoas que falam a língua inglesa, a ideia da música deve ter feito todo o sentido, já que ela não serve somente como um teminha para a ação do filme, ela busca mostrar uma piada macabra, uma loucura inerente, uma solidão obscura e um terror concreto.
Quando prestamos atenção nas letras das músicas “I Started a Joke” e “Bohemain Rhapsody”, percebemos que a ideia de coloca-las nos trailers beira a genialidade. David Ayer foi extremamente inteligente ao introduzi-las nos trailers, dando o ambiente que teremos. Não é somente pelo “Esquadrão Suicida” ser desconhecido do grande público que essas músicas foram colocadas, mas sim para dar o ambiente que todos assistiram. Isso torna “Esquadrão Suicida” ainda mais interessante do que se pode pensar.
"Esquadrão Suicida" é dirigido e roteirizado por David Ayer (Corações de Ferro) e tem no elenco Will Smith (Floyd Lawton/Pistoleiro), Margot Robbie (Dra. Harleen Quinzel/Harley Quinn), Jared Leto (Coringa), Joel Kinnaman (Rick Flagg), Viola Davis (Amanda Waller), Cara Delevingne (June Moon/Magia), Jai Courtney (Goerge "Digger" Harkness/Capitão Bumerangue), Adewale Akinnuoye-Agbaje (Waylon Jones/Crocodilo), Adam Beach (Christopher Weiss/Amarra), Jay Hernandez (Chato Santana/El Diablo), Karen Fukuhara (Tatsuo Yamashiro/Katana) e Scott Eastwood.

I STARTED A JOKE (B. Gibb, M. Gibb e R. Gibb)
Eu comecei uma piada
Que fez o mundo inteiro chorar
Mas eu não vi
Que a piada era eu

Eu comecei a chorar
O que fez o mundo inteiro rir
Ah, se eu apenas tivesse visto
Que a piada era eu

Eu olhei para o céu
Passando as mãos sobre os meus olhos
E eu caí da cama
Machucando a cabeça com as coisas que eu disse

Até que eu finalmente morri
O que fez o mundo inteiro viver
Ah, se eu apenas tivesse visto que a piada era eu

Eu olhei para o céu
Passando as mãos
Sobre os meus olhos
E eu caí da cama
Machucando a cabeça com as coisas que eu disse

Até que eu finalmente morri
O que fez o mundo inteiro viver
Ah, se eu apenas tivesse visto que a piada era eu
Ah, não! Que a piada era eu
Oh


BOHEMAIN RHAPSODY (Freddie Mercury)

Isso é a vida real?
Isso é só fantasia?
Pego num desmoronamento
Sem escapatória da realidade

Abra seus olhos
Olhe para os céus e veja
Eu sou só um pobre garoto
Eu não preciso de compaixão
Porque eu fácil venho, fácil vou
E possuo altos e baixos
De qualquer jeito o vento sopra
Nada realmente importa para mim, para mim

Mamãe, acabei de matar um homem
Coloquei uma arma contra sua cabeça
Puxei o gatilho, agora ele está morto
Mamãe, a vida acabou de começar
Mas agora eu joguei tudo isso fora
Mamãe, oh!
Não foi minha intenção te fazer chorar
Se eu não estiver de volta a esta hora amanhã
Continue, continue
Como se nada realmente importasse
Tarde demais, chegou minha hora
Sinto arrepios em minha espinha
Meu corpo está doendo todo o tempo
Adeus a todos, eu tenho que ir
Tenho que deixar todos vocês para trás e encarar a verdade
Mamãe, oh!
(De qualquer jeito o vento sopra)
Eu não quero morrer
Às vezes eu desejo nunca ter nascido!

Eu vejo a pequena silhueta de um homem
Palhaço! Palhaço! Você dançará o fandango?
Raios e relâmpagos me assustam muito, muito
Galileo! Galileo!
Galileo! Galileo!
Galileo Figaro!
Magnífico, oh!
Eu sou só um pobre garoto e ninguém me ama
Ele é só um pobre garoto de uma família pobre
Poupe sua vida, desta monstruosidade
Fácil venho, fácil vou , vocês me deixarão ir?
Em nome de Deus! Não, nós não te deixaremos ir! (Deixe-o ir!)
Em nome de Deus! Nós não te deixaremos ir! (Deixe-o ir!)
Em nome de Deus! Nós não te deixaremos ir! (Deixe-me ir!)
Nós não te deixaremos ir! (Deixe-me ir!)
Nós nuca não te deixaremos ir!
Nunca! nunca! nunca me deixarão ir, oh!
Não, não, não, não, não, não, não!
Oh, meu Deus, meu Deus! Meu Deus, me deixe ir!
Belzebu, tem um diabo reservado para mim, para mim, para mim

Então você acha que pode me apedrejar e cuspir em meu olho?
Então você acha que pode me amar e me deixar morrer?
Oh, amor! Você não pode fazer isso comigo, amor!
Só tenho que sair
Só tenho que sair logo daqui

Oh, sim! Oh, sim!

Nada realmente importa
Qualquer um pode ver
Nada realmente importa
Nada realmente importa para mim


De qualquer jeito o vento sopra