Translate

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

RESENHA HQ: Batman/Planetary: Noite sobre a Terra (Edição de Luxo)



BATMAN/PLANETARY: NOITE SOBRE A TERRA (EDIÇÃO DE LUXO)
Roteiro: Warren Ellis
Desenhos: John Cassaday
Título original: Batman/Planetary: Night on Earth (Deluxe Edition)
Editora: DC Comics (BR: Panini Comics)
Ano: 2003 (BR: 2014)
Pág.: 100
O Planetary chega a Gotham City para prender John Black, um rapaz capaz de viajar entre as dimensões. Quando estão para prendê-lo, ele gera um campo de ambrosia que envolve a ele e os agentes do Planetary, Elijah Snow, Jakita Wagner e O Baterista, levando-os a uma dimensão onde eles têm de encarar ninguém menos que o Cavaleiro das Trevas, Batman.
Warren Ellis conseguiu fazer um crossover sem igual nessa história curta, mas empolgante. Como toda graphic novel tem de ser, essa Edição de Luxo do encontro do Batman com os agentes da Planetary tem começo, meio e fim, sem divisão de capítulos, ou seja, é uma revista só. A história em si tem 56 páginas, mais a inclusão de 44 páginas do roteiro escrito por Warren Ellis, totalizando 100 páginas. Como disse antes, Ellis nos dá um crossover sem proporções, pois ele cria uma Gotham City no universo do Planetary para que esse possa viajar entre no multiverso. A história foi algo que Ellis desenvolvera para o grupo da Wildstorm, viagens por vários universos que encontram-se em paralelo, ampliando suas ações e enfrentando perigos diversos. Seguindo essa ideia, que era a mesma usada na Era de Prata dos Quadrinhos na DC Comics (1956-1970), eles fazem uma viagem fantástica encarando as mais variadas versões do Batman, homenageando vários períodos do personagem nos quadrinhos e na TV. Os desenhos de John Cassaday fazem a composição mais do que ajustada nesse trabalho com Ellis. Mesmo sendo uma história breve, você percebe a dedicação aos detalhes de cada momento em que o Cavaleiro das Trevas mudando de Universo. Cassaday se preocupou com detalhes de cada momento do personagem, enquanto Ellis tinha a dedicação de interpretar nas falas do Batman seus momentos distintos. Sem contar que a Equipe Stormwatch, mesmo parecendo não se suportar, trabalha bem, mostrando que para se trabalhar assim não é necessário se gostarem, desde que tenha um certo respeito pela capacidade de cada um.
As cenas de ação, principalmente a batalha entre Jakita e os diversos Batmen, são alguns dos melhores momentos da história. A mais hilária é no momento que ela enfrenta o Batman do seriado de 1960.
“Batman/Planetary: Noite sobre a Terra” é uma graphic novel para ser chamada assim e merece estar na coleção de todos os colecionadores de quadrinhos.