Translate

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

RESENHA CINEMA: O Último Caçador de Bruxas (The Last Witch Hunter, 2015)

o-ultimo-cacador-de-bruxasO ÚLTIMO CAÇADOR DE BRUXAS (The Last Witch Hunter, 2015)

Direção: Breck Eisner

Roteiro: Cory Goodman, Matt Sazama, Burk Sharpless

Elenco: Vin Diesel, Rose Leslie, Elijah Wood, Michael Caine, Ólafur Darri Ólafsson, Julie Engelbretch, Joseph Gilgun.

Há 800 anos atrás, Kaulder (Vin Diesel) fora amaldiçoado pela Rainha-Bruxa (Julie Engelbretch) a viver eternamente. Dessa forma ele se torna o último caçador de bruxas a servir a Organização Secreta “A Cruz e o Machado”. Seu assistente, o 36º Dolan (Michael Caine) está para se aposentar e será substituído por um jovem rapaz, o 37º Dolan (Elijah Wood). Mas forças sinistras estão para desencadear na cidade de Nova Iorque e para isso Kaulder contará com a ajuda de Chloe (Rose Leslie), uma bruxa capaz de caminhar pelos sonhos que o ajudará a desvendar os fantasmas de seu passado para lhe auxiliar no seu futuro.

Mais uma franquia de Vin Diesel. Por que franquia? Porque é claro como água que a ideia do filme é ter sequências com o ator 4X4.

Apesar de termos atores como Sir Michael Caine (Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge), Elijah Wood (O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei) e Rose Leslie (Game of Thrones), temos Vin Diesel. Tá, ele é um ator de ação, mas o filme busca lhe dar uma carga dramática na qual o ator não é capaz de transmitir em nenhum momento da película. Sua expressão é forçada, robótica e não transmite a empatia necessária. Até mesmo atores como o estadunidense, naturalizado islandês Ólafur Darri Ólafsson (A Vida Secreta de Walter Mitty), a bela francesa Julie Engelbretch (O Barão Vermelho) e o inglês Joseph Gilgun (Sequestro no Espaço), em seus poucos minutos de frente da câmera, têm mais expressividade do que Diesel.

O corpo duro e retesado de Vin Diesel lhe dá movimentos sem naturalidade e sem expressividade. Sua sorte é que ele tem bons atores à sua volta para carregar o filme com a dramaticidade necessária. Mas é um filme de ação, então não tem muito o que exigir do ator? Pelo contrário, pois até mesmo no quesito ação o filme é bem lento.tlwh-kaulder

Temos boas cenas de luta, quebra-quebra, batalhas de espadas, efeitos especiais, mas a ação acontece de forma vagarosa, pois ao meu ver buscou ganhar mais com o drama do que somente com as cenas em que Diesel sai no quebra-pau com os vilões. Muitos poderão dizer: “Ah, é um filme de ação, então para que exigir dramaticidade?”, mas aí que você se enganam, pois outros atores de filmes de ação já pegaram papéis com certa semelhança e se saíram bem melhores.

Se eu assistiria a sequência? Com certeza, pois é um filme de ação com Vin Diesel, e mesmo que não goste da forma dele atuando, gosto de ver o careca tentando ser ator. Mas não gastaria meu suado dinheiro para vê-lo no cinema novamente... Ah não ser que eu não tenha nada melhor para fazer ou para ver. Mesmo assim, pensaria duas vezes.

Mas fica a pergunta: terá continuação? Difícil dizer, pois é estimado que o filme tenha custado US$ 90 milhões (de acordo com o IMDB), mas rendeu somente US$ 24 milhões, aproximadamente (de acordo com o Box Office Mojo). Acho que a Lionsgate vai enterrar essa franquia antes mesmo do roteiro da continuidade ficar pronto.