Translate

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

RESENHA HQ: Y: O Último Homem – Edição de Luxo: Livro Um (Y: The Last Man Deluxe Edition Book 1)

Y: O ÚLTIMO HOMEM – EDIÇÃO DE LUXO: LIVRO UM (Y: The Last Man Deluxe Edition Book 1)

Y O Último Homem - Edição de LuxoRoteiro: Brian K. Vaughan

Desenhos: Pia Guerra

Arte-Final: José Marzan Jr.

Editora: Vertigo Comics (BR: Panini Books)

Ano: 2008 (BR: 2015)

Pág.: 256

Em 1993, a editora Karen Berger dava o passo de iniciar a Vertigo Comics, um braço da DC Comics dedicada a uma linha editorial de quadrinhos mais adulta. Nessa empreitada ela chamou roteiristas dos mais variados para escrever histórias fora do padrão dos quadrinhos da DC Comics, assim surgiram Sandman (Neil Gaiman), A Saga do Monstro do Pântano (Alan Moore), Hellblazer (Jamie Delano, Garth Ennis, entre outros), Preacher (Garth Ennis), 100 Balas (Brian Azzarello), Os Invisíveis (Grant Morrison), Ex-Machina (Brian K. Vaughan), Shade, O Homem-Mutável (Peter Milligan), Fábulas (Bill Willingham), e tantos outros, dentre eles Y: O Último Homem.

Y: O Último Homem foi uma série que iniciou em dezembro de 2002, escrita por Brian K. Vaughan e desenhada por Pia Guerra. Na história, todos os homens, possuidores do cromossomo Y, foram mortos por uma praga inexplicável, deixando somente as mulheres vivas. Mas por uma incrível força do destino, o jovem Yorick Brown e seu macaco capuchinho, Ampersand, sobreviveram à praga. Eles agora são a esperança da humanidade e, por isso, viajam sob a proteção da Agente 355 para encontrar a geneticista, Dra. Mann, para que possa duplicar seu DNA e criar clone que possam sobreviver. No caminho deles terminam encontrando obstáculos ao quais desejam exterminar Yorick ou tomá-lo para si, enquanto ele somente deseja ir à Austrália e ficar com sua namorada.

Y: O Último Homem foi o meu primeiro contato com a Vertigo Comics de uma forma, digamos, ilegal, pois eu o li através de scans da revista.Y O Último Homem - Yorick e Ampersand

Sinceramente, não sou muito fã dessa forma de leitura, pois prefiro o contato com a revista nas mãos, mas nunca havia visto nada referente a histórias nas bancas daqui, então quando comecei a ler através de scans e não consegui parar. Foram sessenta edições que me deixaram fascinado. Vaughan nos entrega uma trama maravilhosa com as mais fantásticas variações nos personagens. Personagens duronas terminam demonstrando uma humanidade sem igual, enquanto personagens humanitárias se transformam em monstros desumanos. Temos na história o reverso do mundo machista em que vivemos, pois existem mulheres capazes de levar o feminismo ao extremo. A história não busca denegrir a mulher, mas mostrar sua força, sua capacidade de sobrevivência, sem a existência do homem a sua volta. Mas percebe-se que, como o homem precisa da mulher, o inverso também acontece, pois a perpetuação da espécie, mesmo podendo ser feita in vitro, precisa da outra parte para existir. E a ideia de um único homem para isso, faz-nos pensar como seria se ocorresse. Feministas caçando-o para matá-lo, outras querendo usa-lo como cobaia de laboratório, no objetivo de perpetuar a espécie, seja com você vivo ou morto. Parece até egoísmo do Yorick querer ficar com sua namorada – pretensa noiva – enquanto toda a humanidade depende dele para sobreviver, mas Vaughan o fez com tamanha humildade que ele não crê que toda a humanidade dependa dele para voltar a movimentar a máquina da procriação, ou talvez ele até perceba, mas não deseja tal destino para si, pois a responsabilidade é grande demais.

Esse Livro Um é composto das dez primeiras edições da história, ou seja, a Panini ainda terá mais cinco livros pela frente para serem lançados. Espero que ela não esmoreça, pois o ressurgir dessa saga, nos traz um material excelente de leitura e entretenimento, no qual o canal FX virá a produzir uma série de televisão, futuramente, com desenvolvimento de Brian K. Vaughan, Nina Jacobson e Brad Simpson. Ela ainda não tem roteirista ou atores envolvidos, pois fora noticiada recentemente pelos sites de entretenimento estadunidenses, mas podemos esperar um florescer dessa saga, que ganha novas edições e novos ares.