Translate

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

RESENHA HQ: Origem II (Origin II, 2014)

Origem IIORIGEM II (Origin II)

Argumento: Kieron Gillen

Desenhos: Adam Kubert

Editora: Marvel Comics (BR: Panini Books)

Ano: 2014 (BR: 2015)

Pág.: 148

Começo do século XX, alguns anos se passaram desde que James “Logan” Howlett deixou a pedreira na Columbia Britânica para viver de forma errática com uma alcatéia, até que acontecimentos o levam de volta a civilização, vivendo como uma aberração de circo ou como cobaia de laboratório e conhecendo um homem chamado Creed.

Essa é uma continuação direta da minissérie publicada em seis edições (aqui no Brasil a Panini colocou em três) pela Marvel Comics entre os anos de 2001 e 2002. Na primeira vemos como tudo começou na vida de James Howlett, uma criança com vários problemas de saúde. Após eventos que levaram seus pais à morte, James foge com a bela Rose, que foi criada com ele, para a Columbia Britânica, onde ele cresce como Logan, mas mais problemas terminam levando-o ao isolamento.

Muitos gostam de “Origem”, mas eu faço parte do grupo que não gosta muito.

Logan, também conhecido como Wolverine, sempre foi um dos grandes mistérios da Marvel Comics. Sua primeira aparição ocorreu na revista The Incredible Hulk #180 (outubro de 1974), e de lá para cá ele cresceu no gosto dos fãs dos mutantes. Sua forma despojada, truculenta, violenta de agir agradou a todos, tanto que sua popularidade lhe rendeu uma revista solo, algo inédito entre todos os mutantes da Marvel. Em 1991, Barry Windsor-Smith desenvolveu a história onde Logan ganhava o adamantium em seu corpo, mas os mistérios de suas raízes, de sua ascendência, sempre foram mantidas intactas, até que o – naquela época – editor-chefe da Marvel, Joe Quesada, incumbiu os roteiristas Bill Jemas e Paul Jenkins a contarem, junto com ele, a origem de Wolverine, tendo como desenhista Andy Kubert, que já havia trabalhado durante anos com Logan em sua revista mensal. A ideia cativou alguns que adorariam saber como tudo começo na vida de Logan, mas outros mais saudosistas – dentre estes, eu – não achou a ideia tão boa, pois como eu disse acima, Wolverine é um mistério genial. Nada se conhecia de seu passado. Lógico que Quesada não parou por aí e lançou Wolverine: Origins (2006-2010), onde várias coisas do passado de Logan foram reveladas.

Sim, existem coisas mostradas em algumas revistas, como no encontro dos X-Men com os Wild CATs, mas eram aleatórias, fora de um foco central. Mistérios, ideias, conceitos de um passado distante de Logan, mas ao criar sua origem na minissérie homônima, Quesada quebrou a magia por trás do personagem. Agora então, Kieron Gillen cria momentos que todos achavam ser mais distantes e nos quais eu achava bem diferentes. Bem, gostando ou não, “Origem II” está aí dando continuidade na criação do passado de Wolverine, vamos ver o que mais virá pela frente.