Translate

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Um Aranha para cada geração.

O Homem-Aranha é um sucesso da Marvel Comics e não se pode negar. Desde sua criação na Amazing Fantasy #15 (Agosto de 1962) que o sucesso do personagem vem crescendo mundialmente, se tornando um dos ícones da cultura pop mundial.Dentre os personagens da editora, o Homem-Aranha foi o primeiro a ter um desenho animado que não eram recortes das aventuras dos quadrinhos, em 1967, produzido pela Krantz Films para o canal ABC.

Uma década depois, mais exatamente em setembro de 1977, o Homem-Aranha ganhou sua primeira versão em live action.O seriado em si só veio a estrear em abril de 1978 e era estrelado por Nicholas Hammond, que vivia o reporter free-lancer Peter Parker que, após ser picado por uma aranha radioativa, ganha a capacidade de escalar paredes, super-força e um “sentido-aranha”. Munido de seu traje vermelho e azul e de seu lançador de teias, ele combate o crime na cidade de Nova Iorque.A série “Homem-Aranha” durou duas temporadas e era produzida por três companhias – Charles Fries Productions, Dan Goodman Productions e Danchuk Productions – que a fizeram para o canal CBS. Na série não tiveram vilões conhecidos do leque de vilões dos quadrinhos, mas tivemos personagens, além do Peter Parker/Homem-Aranha de Hammond, como Tia May (Jeff Connell e Irene Tedrow), J. Jonah Jameson (David White e Robert F. Simon) e Robbie Robertson (Hilly Hicks). A primeira temporada foi de seis episódios e a segunda teve oito. Não tinha a qualidade das franquias cinematográficas, mas sempre valeu pelo toque de nostalgia e por Hammond viver o primeiro Homem-Aranha de carne e osso.

Movido pelo sucesso da série estadunidense, a empresa japonesa Toei Company criou a série tokusatsu “Supaidâman” que foi transmitida pelo Tokyo Channel 12. Tendo somente uma temporada (maio de 1978 – março de 1979), o ator Shinji Tôdô vivia o motociclista Takuya Yamashiro que, depois do pai ser assassinado pelo Prof. Monstro, ganha os poderes do último guerreiro do planeta Spider, Garia. O guerreiro lhe dá um bracelete que lhe fornece seu traje-protetor, lança teias e o ajuda a controlar a nave Marveller, que se torna o robô de combate Leopardon, no melhor estilo super sentai. Este Homem-Aranha da Toei era bem ao estilo dos seriados japoneses. Ele tinha um super-veículo para leva-lo onde precisasse e um super-robô para ajudá-lo no combate a monstros gigantes.

Somente no ano de 2002 que o Cabeça-de-Teia viria a ter uma versão que fosse mais próxima dos quadrinhos.Após anos de luta para levar essa versão ao cinema – chegou a passar pelas mãos do diretor James Cameron, que abriu mão por causa de um outro projeto ambicioso, Ávatar, e ter uma briga judicial acirrada -, a Columbia Pictures, contando com o roteiro de David Koepp (Jurassic Park) e a direção de Sam Raimi (Evil Dead: A Morte do Demônio), levou em 2002 a versão do Homem-Aranha aos cinemas.O filme contava com um elenco de estrelas, como Tobey Maguire (Garotos Incríveis) como Peter Parker/Homem-Aranha, Kirsten Dunst (O Corvo: Salvação) como Mary Jane Watson, Willem Dafoe (A Sombra do Vampiro) como Norma Osborn/Duende Verde, James Franco (James Dean) como Harry Osborn, J.K. Simmons (A Mexicana) como J. Jonah Jameson, Rosemary Harris (O Dom da Premonição) como May Parker e Cliff Robertson (Fuga de Los Angeles) como Ben Parker, um investimento em torno de US$ 139 milhões e efeitos especiais de primeira. No enredo era a história inicial de como Peter Parker se tornou o Homem-Aranha, levando como base algumas semelhanças com a versão Ultimate do personagem, como o discurso de “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”, aranha modificada geneticamente, perseguição ao assassino do tio Ben. Mas como toda versão adaptada, essa tinha seus problemas, como o lance da teia organica ao invés de Peter criar os disparadores de teia e o uniforme do personagem, que do nada surge e ele o usa. Quanto a teia orgânica, o diretor Sam Raimi justificou que Peter não tinha dinheiro e nem recursos para criar esse dispositivo, mas é impressionante que ele o tinha para criar aquele traje. Mas isso não abalou o sucesso do filme que arrecadou, mundialmente, mais de US$ 821 milhões, garantindo sua continuidade.

Em 2004 estreou o segundo filme, onde todo o elenco voltava, com exceção de Cliff Robertson. Nesse novo filme o ator Alfred Molina (Lutero) embarca como Dr. Otto Octavius/Dr. Octopus. Com algumas modificações na origem do vilão, mas nada que afetasse o cânone do personagem nos quadrinhos, o filme se tornou um sucesso entre os fãs do Aracnídeo, mas em 2007, a franquia é abalada pelo Homem-Aranha 3, que tinham os atores Thomas Haden Church (Sideways – Entre Umas e Outras) como Flint Marko/Homem-Areia, Topher Grace (That ‘70s Show) como Eddie Brock/Venom e Bryce Dallas Howard (A Dama na Água) como Gwen Stacy. Apesar do sucesso nas bilheterias mundiais (+ US$ 890 milhões), a crítica especializada e os fãs não gostaram da forma como o Venom e o Homem-Areia foram retratados, sem contar uma caracterização bem estranha que Tobey Maguire dera para o personagem quando este está usando o simbionte. Isso fez com que a Columbia parasse com os filmes do Homem-Aranha por um tempo, até 2012, quando um novo Homem-Aranha despontaria nas telas.

Diz a lenda que a Columbia Pictures somente começou a desenvolver um novo filme do Homem-Aranha, pois estava temerosa de perder os direitos de filmagem para a Marvel Studios, que já vinha desenvolvendo seu Universo Cinemático desde 2008. Com isso, a empresa encomendou uma história com o escritor James Vanderbilt (Zodíaco) e, junto com Alvin Sargent (Homem-Aranha 3) e Steve Kloves (Harry Potter e As Relíquias da Morte: Parte 2), eles criaram o roteiro. A direção ficou a cargo de Marc Webb ((500) Dias com Ela) e, por não querer repetir o rosto de Tobey Maguire (que já estava bem velho para interpretar um adolescente, que era a intenção do estúdio), fizeram um seleção onde o ator Andrew Garfield (A Rede Social) foi escolhido para ser Peter Parker/Homem-Aranha. Se juntaram a ele a atriz Emma Stone (Zumbilândia) como Gwen Stacy, Sally Field (Forrest Gump) como May Parker, Martin Sheen (Codinome Cassius 7) como Ben Parker, Denis Leary (A Era do Gelo) como Caiptão Stacy, Rhys Ifans (Anônimo) como Dr. Curt Connors/Lagarto, Campbell Scott (O Exorcismo de Emily Rose) como Richard Parker e Embeth Davidtz (Mad Men) como Mary Parker. Com a introdução dos pais de Peter ao filme, este ganhou um novo dinamismo, onde a morte de ambos está intrinsecamente ligada a transformação de Peter no Homem-Aranha e no vilão Lagarto.

A renovação da origem e de todos os aspectos desse novo filme, como o uniforme que era um pouco diferente dos quadrinhos, gerou um enorme burburinho dos fãs do Homem-Aranha, que em sua maioria não gostaram de nada. Mesmo que mostrasse o personagem mais inteligente, criando os disparadores de teia e tendo como primeira namorada a bela Gwen Stacy, todos ainda desejavam o retorno de Tobey Maguire ao papel-título. Mas com uma bilheteria mundial de mais de US$ 757 milhões, a Columbia encomendou o segundo filme que viria a estrear em 2014.

O elenco do primeiro filme, em sua maioria, retornou para o segundo, acrescentando o ator Jamie Foxx (Django Livre) como Max Dillon/Electro e Dane DeHaan (Poder Sem Limites) como Harry Osborn/Duende Verde. E mesmo com o uniforme mais próximo dos quadrinhos, os fãs não gostaram desse filme, também. Esse terminou rendendo bem menos do que seus quatro antecessores, mas existiam planos para continuidade de novos filmes, mas devido a problemas com o ator principal, tudo foi esquecido.

Tom HollandNeste ano de 2015, a Columbia Pictures e a Marvel Studios assinaram um acordo de uso mútuo do personagem Homem-Aranha, sendo assim, o personagem poderá integrar o Universo Cinemático Marvel, começando com uma – possível – participação no filme Capitão América: Guerra Civil (2016), onde o personagem tem grande importância – pelo menos nos quadrinhos.Como Andrew Garfield fora afastado do papel, ambos os estúdios decidiram renovar novamente o personagem, colocando-o mais jovem ainda.Durante meses as especulações sobre quem seria o novo rosto que portaria a máscara do Homem-Aranha ficou entre os nomes de Tom Holland (O Impossível) e Asa Butterfield (Ender’s Game: O Jogo do Exterminador), mas no dia 23/06/2015, a Columbia Pictures e a Marvel Studios anunciaram que Tom Holland assumirá a máscara do personagem numa franquia de três filmes, que serve como referência aos três anos finais do ensino médio de Peter Parker. Com o anuncio de Tom Holland como Peter Parker/Homem-Aranha, falta saber como será – e se terá – sua participação em Capitão América: Guerra Civil e qual será a dinâmica adotada para o personagem. Mas, verdade seja dita, um super-herói como o Homem-Aranha que já possuiu tantos rostos em seus 53 anos de existência, que já teve tantas adaptações, uma a mais somente acrescentará mais aspectos positivos à sua mitologia.