Translate

domingo, 10 de maio de 2015

RESENHA HQ: Batman: Noel

BATMAN: NOEL

Título original: Batman: Noël Deluxe Edition

Editora: DC Comics (BR: Panini Books)

Ano: 2011 (BR: 2014)

Roteiro: Lee Bermejo

Arte: Lee Bermejo

Cores: Barbara Ciardo

Em 1843, Charles Dickens publicou pela primeira vez “Um Conto de Natal” (A Christmas Carol). Hoje é considerado um dos maiores contos natalino do mundo, tendo várias adaptações para o cinema, teatro, animações e – até mesmo – quadrinhos.A Christmas Carol

Várias adaptações seguiram o texto original, mas outras usavam – e ainda usam – outros artíficios para contá-la.

A DC Comics, por duas vezes, usou o Cavaleiro das Trevas para adaptar o conto de Dickens. A primeira vez foi em LotDK_Halloween_Special_3Legends of the Dark Knight Halloween Special #3: Ghosts (que aqui saiu em Batman – O Dia das Bruxas: Fantasmas), onde Bruce Wayne, na noite de Natal, recebe a visita de três Espíritos: o Espírito do Natal Passado (Hera Venenosa), o Espírito do Natal Presente (Coringa) e o Espírito do Natal Futuro (um cadavérico Batman). A história foi escrita magistralmente por Jeph Loeb (O Longo Dia das Bruxas) e desenhada por Tim Sale (Vitória Sombria). Considero-a uma das mais belas adaptações do conto, mas mais recentemente a DC nos surpreendeu com Batman: Noel, escrita e ilustrada por Lee Bermejo (Coringa) e pintada pela artista italiana Barbara Ciardo (Superman: Terra Um).

A história, bem, é véspera de Natal e um dos capangas do Coringa precisa fazer uma troca em um beco, mas termina interceptado pelo Batman e perde o dinheiro que deveria deixar em outro lugar para o Coringa. Batman deixa-o ir embora, para que se torne uma isca para um “peixe maior”, mesmo que todos achem que ele está se excedendo, pois Bob – o comparsa do Coringa – tem um filho e colocar um alvo nas costas do bandido, poderia tornar seu filho órfão.

Enquanto persegue o Coringa, Batman está com um tremendo resfriado, graças ao frio em Gotham. Ele encontra-se com a Mulher-Gato que avisa ter informações sobre o paradeiro do Coringa, depois Superman o visita para conversarem e finalmente o Cavaleiro das Trevas confronta seu nêmeses, com um final fantástico. Mas qual a ligação dessa história com “Um Conto de Natal”? Lee Bermejo desenvolve “Batman: Noel” com alguém contanto a história criada por Dickens. Todos os quadros fazem ligação ao conto, de certa forma, com momentos semelhantes à história do século XIX.

A arte de Bermejo é dinâmica e eficiente, mas o que me deixou mais apaixonado por essa graphic novel foi o trabalho de Barbara Ciardo. A arte dela é fantástica, dando uma nova dimensão aos trabalhos de pintura nos quadrinhos. Ciardo trabalha sombras, tons e dimensões de forma única. Quase não se percebe o contorno da arte final de Bermejo, devido ao lindo trabalho da italiana.

Do começo ao fim, Barbara Ciardo da textura a cada quadro das histórias, da neve caindo às sombras de um sorriso, ela faz arte. Quando Superman surge, ela nos mostra uma luminosidade, numa divisão entre trevas (Batman) e luz (Superman), como se um calor intenso emanasse do Homem-de-Aço.

Ler e ver o trabalho realizado em Batman: Noel deixa todo fã do Batman e qualquer fã de quadrinhos feliz de ser fã de arte sequencial. Vale a cada quadro, a cada página. Simplesmente imperdível.batman - noel