Translate

segunda-feira, 18 de maio de 2015

“Não é um pássaro... não é um avião... não é um homem... é a Supergirl”.

CBS lança dois trailers apresentando sua nova série, Supergirl.

Action Comics #252Para mim, sidekick é um parceiro que auxilia o herói e/ou vigilante no que ele precisa, ou seja, ele não serve somente para chama-lo para lhe socorrer, mas sim para ser a solução. Dessa forma, o Superman não ganhou um sidekick com a criação do personagem Jimmy Olsen em Action Comics #6 (1938), mas sim com a criação de Supergirl em Action Comics #252 (1959).

A história da personagem está totalmente ligada a do Superman, pois Kara Zor-El é filha de Zor-El, irmão de Jor-El e tio de Kal-El, o Superman. Kara, seu pai e sua mãe, Allura – na história original – sobreviveram a explosão de Kripton, pois Zor-El criou uma cúpula hermética sobre a cidade de Argo, mas a kriptonita que se inseriu no solo da cidade começou a matá-la lentamente. Sabendo disso, Zor-El fez como seu irmão e colocou sua filha dentro de uma nave, enviando-a para à Terra, onde encontraria Kal-El e seria criada por ele. Sabendo que Kal-El era o Superman, criou um traje para sua filha semelhante ao do sobrinho. Quando chegou, ela se apresentou ao primo e este decidiu usá-la como sua “arma secreta”, treinando-a para usar os poderes que começavam a despertar. Kara, então, adotou o nome de Linda Lee, uma órfã do Orfanato Midvale. Antes de começar a agir, Kara passou dois anos na Terra aprendendo a conviver com os humanos. Após o período de “exílio”, Superman a apresentou como a sua prima, Supergirl. Depois ela deixou ser adotada pelo cientista de foguetes, Fred Danvers, e sua esposa, Edna Danvers, adotando o nome Linda Lee Danvers.

Em outubro de 1985, os roteiristas Marv Wolfman e Robert Greenberg, com o aval do editor executivo Dick Giordano, matam Kara Zor-El de forma apoteótica, em um conflito dela contra o Anti-Monitor no evento “Crise nas Infinitas Terras”. Com isso, após a megassaga, Kal-El se torna o único filho de Kripton.Supergirl dies

Supergirl_Matrix_001Em 1988, John Byrne cria o Universo Compacto, um universo que o Senhor do Tempo criou para iludir a Legião dos Super-Heróis quanto a existência de um Superboy. Esse universo cai no caos total quando Zod, Zaora e Quex-Ul fogem da Zona Fantasma. Então o Lex Luthor dessa realidade compacta cria a Matriz, uma forma protoplasmática, baseada em Lana Lang, seu amor há muito falecida, que simulava os poderes do Superboy. Matrix viaja até a realidade do novo Superman pós-Crise e o chama para salvar seu universo. Superman já havia viajado a esse universo com a Legião, mas percebeu o estado que os kriptonianos malignos haviam deixado o local e termina se tornando juiz, júri e executor, matando-os contaminados por kriptonita verde daquela realidade, que não afetava Kal-El.

Superman e Matriz retornam para o mundo, a pedido de Lex Luthor, onde ela vive sem forma com os Kent (seu corpo havia sido queimado pelos kriptonianos). Matriz passou muito tempo escondida, até achar que era Clark Kent e tentar assumir o lugar do verdadeiro. Os dois terminaram se enfrentando, onde Superman a venceu e ela foi para o espaço, onde sofreu muitas agruras. No seu retorno, Matriz se torna aliada de Lex Luthor Jr, que nada mais é do que Lex Luthor em um corpo mais jovem, e novamente age como Supergirl.

supergirl #1Matriz não foi a Supergirl mais longeva da DC Comics, mas foi a que levou a série em quadrinhos mais longe. Além das quatro edições lançadas em 1994, após Zero Hora, ela teve uma série mensal, escrita por Peter David, que foi até a edição 80 (maio de 2003), onde finalizou tendo a arte do brasileiro Ed Benes.

Um ano depois, em maio de 2004, Jeph Loeb e Michael Turner, trouxeram Kara Zor-El de volta em Superman/Batman #8. A personagem foi trazida em uma minissérie de 6 partes, onde Batman, Superman, Mulher-Maravilha e Grande Barda enfrentam Darkseid, pois este deseja Kara no seu exército, como uma de suas Fúrias, treinada pela Vovó Bondade.

supergirl-turner-loebA história dessa Kara se diferenciava um pouco da original. Da mesma forma, ela foi enviada por seu pai, Zor-El para à Terra, mas não por causa da contaminação de Argo por kriptonita, e sim para que ela fugisse de um ataque de Brainiac, pois este depois de encolher Kandor, ele ataca a cidade de Argo, então Zor-El e Allura não veem outra solução que não seja enviá-la em uma viagem, mas a nave dela termina contaminada por kriptonita e Kara demora a chegar à Terra. Quando chega, seu primo Kal-El, que era um bebê quando ela partiu, é um homem adulto. Na Terra, ela termina sendo encontrada por Batman, e como não entende inglês terminam se enfrentando. Batman é salvo, então, por Superman, que conversa com Kara na língua nativa de ambos. Clark decide enviar Kara para Themyscira para ser treinada pelas amazonas. Depois dos acontecimentos que narrei, Superman apresenta sua prima ao mundo como Supergirl.

Essa “terceira” Supergirl participou de vários eventos, antes do derradeiro Ponto de Ignição, que zerou o Universo DC e trouxe uma nova Supergirl. Supergirl_Vol_6_1_TextlessEla é um pouco mais pavio curto do que as versões anteriores, tanto que seu primeiro encontro com Kal-El, ela perde as estribeiras e parte para cima dele. Recentemente, Kara virou uma Lanterna Vermelho, vamos ver o que rola com ela depois de Convergence.

Já em live-action, Supergirl teve sua primeira versão em 1984 em um filme homônimo. Estrelado por Helen Slater. No filme, Kara vive em Argo com seus pais, Zor-El (Simon Ward) e Allura (Mia Farrow). A cidade é cercada por um domo que mantém toda a população segura, além de um artefato chamado Omegahedron. Zaltar (Peter O’Toole), um cidadão de Argo, usurpa o Omegahedron, e deixa Kara usá-lo, só que ela cria uma borboleta que destrói o domo e o vácuo puxa o artefato. O conselho de Argo condena Zaltar à Zona Fantasma.

Kara, se sentindo culpada e no intuito de recuperar o Omegahedron para salvar Argo, embarca em uma nave que a traz para à Terra. Aqui ela descobre seus poderes e que seu primo é o Superman, então adota a identidade de Linda Lee e se matricula em uma escola para meninas, onde conhece Lucy Lane (Maureen Teefy), irmã caçula de Lois Lane. Enquanto isso o Omegahedron vai parar nas mãos da aprendiz do bruxo Nigel (Peter Cook), Selena (Faye Danaway). Ela percebe o quanto o artefato é poderoso e busca usá-lo para se livrar dos domínios do seu mestre e se tornar a “rainha da Terra”. Na escola para meninas, Linda Lee se encanta com o jovem zelador Ethan (Hart Bochner), mas Selena se vê atraída pelo jovem e lhe dá uma poção de amor, que faz com que o rapaz se encante pela bruxa. Depois de recobrar a consciência, Ethan foge, mas Selena encanta um trator para trazê-lo de volta e ele termina salvo pela Supergirl, por quem se apaixona. Com isso, Supergirl e Selena se confrontam e, durante o confronto, a bruxa usa o Omegahedron e cria um portal para a Zona Fantasma, para onde envia Kara.supergirl-1983

Na Zona Fantasma, a garota-de-aço é socorrida por Zaltar, que se sacrifica para que ela retorne à Terra. Quando retorna, Supergirl enfrenta novamente Selena, que não consegue domina o poder do Omegahedron e termina virando vidro. Ethan, que havia se tornado dominado novamente por Selena se liberta e diz que conhece a identidade dupla de Kara, mas percebe que seria uma relação impossível. Kara retorna para Argo, onde entrega o artefato ao seu pai e salva a cidade.

O filme foi um fracasso nas bilheterias, o que não trouxe Helen Slater vestindo o traje da Supergirl, nunca mais.

supergirl-smallvilleEm 2007, no segundo episódio da sétima temporada de Smallville, surge a segunda versão de carne-e-osso de Kara. Dessa vez vivida pela atriz Laura Vandervoort. Dessa vez, Kara havia sido enviada à Terra junto com seu primo, pois seu pai acreditou em seu tio e decidiu enviá-la, já adolescente, para à Terra. Só que, devido à chuva de meteoros, Kara chegou bem depois do primo e já o encontrou adolescente. Foi difícil assimilar isso, mas quando aceitou que Kal-El era um jovem que vivia em Smallville, no Kansas, ela terminou se tornando uma grande aliada.

supergirl-superman animated seriesKara também teve algumas versões em animações, mas a que fez mais sucesso foi a que surgiu no desenho animado Superman – A Série Animada. Dali, Kara chegou a migrar para Liga da Justiça Sem Limites, onde enfrentou sua versão maligna, criada pelo Dr. Emil Hamilton. A outra animação, eram curtas com a personagem, de uma forma bem mais infantil.

Agora, Kara volta a televisão em uma nova série em live action. De acordo com o trailer – que segue abaixo – Kara veio para a Terra depois de seu primo, um pouco antes de Kripton ser totalmente destruída. Ela já era uma menina, mas chegou bem depois de seu primo, que quando ela chegou já era adulto e conhecido como Superman. A atriz que viverá Kara/Supergirl é a jovem Melissa Benoist. Na série teremos James Olsen (Mehcad Brooks), Cat Grant (Calista Flockhart), Fred Danvers (Dean Cain), Alex Danvers (Chyler Leigh), e muitos outros personagens da mitologia do Superman. A princípio muitos vêm criticando o trailer por causa do seu tom “comédia romântica”, mas a série terá efeitos especiais de primeira, além de tentar atingir um outro público, algo mais feminino e jovem.melissa-benoist-supergirl

Esse que vos escreve gostou de ambos os trailers e torce para que essa série da CBS vingue, mas caso isso não aconteça no canal, que migre para o CW, pois mesmo que na série da Supergirl possamos ter aparições de Arrow e Flash, estando todos no mesmo canal, a integração poderá ser maior e melhor.