Translate

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

RESENHA OVERDOSE CINEMA: Whiplash: Em Busca da Perfeição

publicado no grupo Overdose HQ em 27/01/2015.

RESENHA OVERDOSE CINEMA:

whiplash1Whiplash: Em Busca da Perfeição (Whiplash, 2014)

Direção: Damien Chazelle
Elenco: Miles Teller, J.K. Simmons, Paul Reiser, Melissa Benoist.

Andrew Neimann (Miles Teller, de Divergente) é um jovem baterista que acabou de ingressar no Conservatório de Música Shaffer. Enquanto tocava, solitariamente, bateria, o professor mais renomado do Convervatório, Terrence Fletcher (J.K. Simmons, de Homem-Aranha) o ouve. Dias depois, Fletcher aparece na sala em que Neimann estuda e o chama para ser o substituto em sua sala de aula, onde ele descobre que nem tudo são flores. Fletcher é um professor linha-dura, que não poupa ofensas para seus alunos, as vezes, agredindo-os. Mas, mesmo assim, Neimann não desiste e faz de tudo para conseguir fazer parte do grupo de Fletcher, na busca de tentar ser o novo Buddy Rich, uma das inspirações de Neimann.
O filme parece ser mais daqueles em que o professor tenta encontrar no aluno de determinado conservatório o melhor dele, mas a diferença é em como vai essa busca.
Em uma das suas maiores interpretações - melhor até do que como J.J. Jameson - J.K. Simmons nos dá um Terrence Fletcher brutal e visceral. Ele faz seus alunos suarem sangue, no sentido real da palavra, para que encontrem a batida perfeita. Ele os agride de forma verbal e física, quando necessário, para que façam ao máximo no objetivo de alcançar o seu melhor. Com essa interpretação está concorrendo ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante.
Miles Teller está bem diferente do que os filmes anteriores que participou. Em geral fazendo adolescentes, neste Teller está mais sério, mas mantendo as nuances de um jovem que quer ser o melhor no que faz, mas quando erra fica sisudo e enfurecido. Algumas das melhores cenas é quando ele está treinando na bateria.
Damien Chazelle, que também escreveu o roteiro, tornou o seu curta-metragem "Whiplash" em um longa emocionante e cheio de momentos intensos. Seu rola em torno, essencialmente, do personagem Neimann em se tornar o baterista que sempre desejou, mas vemos também o quanto essa busca, influencia e afeta a vida daqueles a sua volta. Seu pai, Jim Niemann (Paul Reiser em um ótimo retorno, pois vinha fazendo papéis coadjuvantes pouco significantes), sempre protetor e preocupado com o filho e sua namorada Nicole (Melissa Benoist, de Glee), que se vê no meio dos turbilhões de emoções dessa busca de Neimann. E essa vida parece ser uma batida de bateria, pois cada cena é tensa e cheia de força expressiva.
Eu adoro Fame, Flashdance, Sob a Luz da Fama e até mesmo Glee, mas Whiplash vai além desses outros, de uma forma muito positiva.