Translate

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

RESENHA OVERDOSE CINEMA: Corações de Ferro (Fury, 2014)

Publicado em 29/12/2014 no Overdose HQ.

RESENHA OVERDOSE CINEMA:

Fury-17set2014-posterCorações de Ferro (Fury, 2014)

Direção: David Ayer
Elenco: Brad Pitt, Shia LaBeouf, Logan Lerman, Michael Peña, Jon Bernthal.

Eu sou simplesmente fascinado por filmes sobre as Grandes Guerras Mundiais, e para mim, Steven Spielberg fez a maioria dos melhores filmes nesse quesito. Mas desta vez o diretor não está envolvido em nenhuma parte desse projeto, que tem muito a cara dele. "Corações de Ferro" (que tem bastante a ver com o filme, já que se fala do interior de um tanque M-4 Sherman, durante a 2ª Guerra Mundial) tem roteiro e direção de David Ayer (Sabotage). Quem não está ligando o nome a pessoa, ele estará escrevendo e dirigindo "Esquadrão Suicida", que estreará em 2016. Além disso, Ayer também escreveu o primeiro "Velozes e Furiosos" (para mim, o único que vale a pena, de toda a franquia), "Dia de Treinamento", "S.W.A.T.: Comando Especial", "Tempos de Violência" e "Marcados Para Morrer" (que ele também dirigiu), ou seja, ele tem um excelente currículo de filmes que falam sobre guerras e ação.
Só que dessa vez ele embarca na Segunda Grande Guerra para narrar um grupo de soldados, membros da tropa de tanques dos Estados Unidos. Eles são comandados pelo Sargento Don "Wardaddy" Collier (Brad Pitt) e são compostos por quatro: o canhoneiro Boyd "Bible" Swan (Shia LaBeouf), o mecânico Grady "Coon-Ass" Travis (Jon Bernthal), o piloto Trini "Gordo" Garcia (Michael Peña) e o novato Norman Ellison (Logan Lerman). Apesar de a história ter um certo nível de concentração na entrada do novato, durante todo o filme vemos os personagens se desenvolvendo, com suas personalidades. Ayer não tem o intuito de apresentá-los, pois cada um já está na guerra desde os conflitos no território africano. Mas ele mostra como um jovem, destinado a ser datilógrafo de guerra se torna membro de um grupo de desajustados, que já viram todos os meandros do conflito. O mais legal é ver como cada um constrói a personalidade de seu personagem.Fury-07
Brad Pìtt (Guerra Mundial Z), como sempre, surpreende com sua capacidade de intensidicar uma interpretação. Como Wardaddy, ele demonstra força e ao mesmo tempo compaixão, é firme, mas tem um coração nobre.
Outro que me surpreendeu foi Shia LaBeouf (Ninfomaníaca), que demonstrou um crescimento excepcional de interpretação. É magnífico ver como um ator pode crescer e mudar a imagem que temos dele. Shia está simplesmente bem como Bible. Outro caso nesse mesmo patamar eu tenho com Logan Lerman (Noé).
Eu sempre considerei Lerman um ator de papéis bobos, graças aos filmes do cinessérie Percy Jackson e do idiota Os Três Mosqueteiros, mas depois de vê-lo em "As Vantagens de Ser Invisível", reconheci no rapaz um talento para interpretações dramáticas que não acreditava que ele teria, e em "Corações de Ferro", ele mostra mais ainda dessa capacidade. Quem dera ele nunca mais voltasse a fazer Percy Jackson e continuasse em papéis dessa magnitude, que exijam bastante de sua capacidade de ator.
coraçoes-de-ferroO mais interessante é que para Ayer não existem papéis pequenos, pelo contrário, cada membro do tanque M-4 Sherman intitulado "Fury" (o nome do filme em inglês é o nome do tanque) tem sua importância e sua relevância para o filme, sendo assim, as participações dos personagens de Michael Peña (da série Gracepoint), que já trabalhou com David Ayer em "Marcados Para Morrer, e Jon Bernthal (da série The Walking Dead), são de suma importância.
Gosto muito dos trabalhos de Peña, pois ele tem uma forma de atuar carregada de uma dramaticidade viril. E a força que ele dá no seu trabalho como o piloto Gordo, é fantástica, pois ele não exagera, por ser um latino-americano, mas também não deixa de lado suas origens.
Já Jon Bernthal cada vez que o vejo atuando, ele me mostra um personagem bem diferente. O mecânico Coon-Ass (procurei a tradução disso e não me pareceu nada bonito, por isso prefiro manter a versão em inglês) é o tipo de "carcamo" dos guetos de Nova Iorque. Quase um animal, que não perde a oportunidade de soltar o verbo e não respeita patentes, mas tem um coração nobre, também, capaz de se sacrificar pelos amigos.
fury-topoO filme é simplesmente surpreendente e gratificante. Tem cenas de combate que beiram a realidade, surpreendendo até mesmo o veterano Bill Betts (91 anos) que foi operador de rádios de um tanque Sherman no Dia D, e chegou a dar uma entrevista ao The Guardian, falando que: "'Corações de Ferro' mostra o quão vulnerável você estava lutando em um tanque Sherman. Há uma grande quantidade de sangue no filme, mas nada pode realmente chegar perto dos verdadeiros horrores da guerra do tanque. Eu vi pessoas sendo explodidas e queimadas vivas. Indo ver 'Corações de Ferro', você não consegue sentir o terrível cheiro nauseante de carne queimada. Isso vai ficar comigo para sempre".
Sinceramente? Quem gosta de bons filmes, com um enredo denso, boas cenas de ação, não pode perder "Corações de Ferro".

Trailer legendado do filme “Corações de Ferro”