Translate

sábado, 1 de novembro de 2014

RESENHA OVERDOSE HQ: Justiceiro: Bem-Vindo ao Bayou

Publicado na fanpage do Overdose HQ em 01/11/2014.

RESENHA OVERDOSE HQ:

Justiceiro: Bem-Vindo ao Bayou
Título original: Punisher: Welcome to the Bayou
Ano de publicação: 2009 (BR: 2011)
Editora: Marvel MAX (BR: Panini Books)
Roteiro: Victor Gischler
Arte: Goran Parlov
Pág.: 156

Frank Castle está a caminho de Nova Orleans para entregar uma encomenda, quando cruza com quatro adolescentes indo para as férias de primavera. Termina encontrando-os, novamente, em um posto de gasolina. Quando eles demoram para aparecer, Castle retorna ao posto de gasolina e descobre uma família de canibais que criam crocodilos e termina capturado por eles ao tentar salvar as jovens que sobreviveram. Enquanto isso, sua "encomenda" foge e sai a dua caça.
Bem vindo ao Bayou é o terceiro e último encadernado lançado pela Panini Books com histórias de Frank Castle na Marvel MAX. A edição trás a história-título e mais outras cinco histórias que fazem parte das última edição da linha MAX do Justiceiro.
A história escrita pelo romancista Victor Gischler (Wolverine) é muito bem escrita, nos levando aos remotos pântanos da região de Nova Orleans, com suas famílias esquisitas, crocodilos e cobras e tem um nível de violência comparado a época que Jason Aaron escrevia os roteiros. A arte do croata Goran Parlov (Y: OÚltimo Homem) é perfeita para o enredo, o enriquece mais ainda o trabalho com seus detalhes dos pântanos, é impressionante.
As outras cinco histórias que compõem o encadernado fazem parte da edição 75 da revista e é escrita por cinco roteiristas diferentes e desenhada por, também, cinco artistas diferentes, mas todos já tiveram passagem pela revista. Vamos a elas:

BONECAS (Dolls, Dez-2009)
Roteiro: Tom Piccirilli
Arte: Laurence Campbell
Frank Castle está de vigília em um traficante, quando surge uma menina perdida do pai. Então, enquanto vigia o traficante tem de ajudar a pequena a encontrar o pai.
Uma história simples, rápida e, de certa forma, interessante, pois em nenhum instante perde-se quem Frank Castle é, pelo contrário, um das cenas mais interessantes está no final da história. É muito legal ver como o novelista Tom Piccirilli conduz essa história, mostrando a calma e paciência de Castle, e os tom sombrios de Laurence Campbell enriquecem a história.

O MEDIADOR (Gateway, Dez-2009)
Roteiro: Gregg Hurwitz
Arte: Das Pastoras
Um mediador é uma pessoa que liga um assassino ao seu patrocinador, sem que eles tenham contato. É um trabalho sujo, mas ao qual eles são somente intermediários da sujeira, sem nunca ser pegos por causa disso, mas podem ser responsáveis pelas piores atrocidades, como o assassinato de uma família. O azar deles é ter a família de Castle como vítimas.
Gregg Hurwitz retorna nessa história e nos mostra como um mero mediador pode ser o pior de todos os criminosos, ainda mais quando ele se torna responsável pela morte da família de Frank Castle. A arte do espanhol Das Pastoras dá um aspecto bem bruto a história que tem um enredo bem interessante.

ABUTRES (Ghoul, Dez-2009)
Roteiro: Duane Swierczynski
Arte: Tom Coker
As pessoas tendem a querer ganhar dinheiro com qualquer coisa, até mesmo com um dos crimes mais famosos do Universo Marvel, que criou o Justiceiro. É assim que o sargento Hickey ganha uma grana extra, mas isso se torna um problema quando encontra-se com Frank Castle em pessoa.
Duane Swierczynski, em sete páginas, nos mostra como uma pessoa pode ser sem escrúpulos e imoral, usando um crime horrível para ganhar dinheiro. O desenhos de Tom Coker (Demolidor Noir), com seu jogo de luzes e sombras, dá o tom de sujeira e da história.

DIA DOS PAIS (Father's Day, Dez-2009)
Roteiro: Peter Milligan
Arte: Goran Parlov
Nos trinta anos que Frank Castle perdeu sua família, várias coisas ocorreram com ele, mas ele sempre teve uma coisa na lembranças, em suas memórias, sua esposa e seus filhos. São trinta anos punindo pessoas como os assassinos de seus familiares.
Nessa história, Peter Milligan narra na forma de uma carta que a filha de Castle estava escrevendo pouco antes da chacina ocorrer, quem ele era antes de tudo. A arte de Goran Parlov mostra cada um dos acontecimentos. Para mim é uma das mais belas histórias já escritas, mesmo com o tom de violência que possui, mas  a forma como Milligan decidiu contá-la, faz dela a melhor, na minha opinião.


A MENOR PARTE (Smallest Bit of This, Dez-2009)
Roteiro: Charles Huston
Desenhos: Ken Lashley
Arte-Final: Rob Stull
Frank Castle sempre viveu no limite entre a vida e a morte. Tudo começou há trinta anos, após a morte de sua família, durante um piquenique no Central Park. Desde essa época ele caça todos que se assemelham aos assassinos de sua esposa e seus filhos.
Essa história de Charles Huston (Wolverine: The Best There Is) fecha a revista que encerra a passagem do Justiceiro pela linha MAX. A história faz uma ligação entre uma luta de Castle contra criminosos e o dia da morte de sua esposa e filhos, finalizando com ele caído, quase morto, nos dois casos. Os desenhos de Ken Lashley (Esquadrão Suicida - Novos 52) com a arte-final de Rob Stull (Novos Mutantes - Vol. 2) dá o tom dessa história, lembrando um pouco o estilo prosaico que vemos nos quadrinhos, mas nem por isso deixando de ser rico e compondo bem as histórias.

As histórias da edição 75 tem como intuito nos mostrar os trinta anos de Frank Castle como Justiceiro e remetê-lo ao seu passado. São histórias que somente complementam o personagem, que sempre será o primeiro anti-herói dos quadrinhos.

RESENHA OVERDOSE HQ:

Justiceiro: Bem-Vindo ao Bayou
Título original: Punisher: Welcome to the Bayou
Ano de publicação: 2009 (BR: 2011)
Editora: Marvel MAX (BR: Panini Books)
Roteiro: Victor Gischler
Arte: Goran Parlov
Pág.: 156

Frank Castle está a caminho de Nova Orleans para entregar uma encomenda, quando cruza com quatro adolescentes indo para as férias de primavera. Termina encontrando-os, novamente, em um posto de gasolina. Quando eles demoram para aparecer, Castle retorna ao posto de gasolina e descobre uma família de canibais que criam crocodilos e termina capturado por eles ao tentar salvar as jovens que sobreviveram. Enquanto isso, sua "encomenda" foge e sai a dua caça.
Bem vindo ao Bayou é o terceiro e último encadernado lançado pela Panini Books com histórias de Frank Castle na Marvel MAX. A edição trás a história-título e mais outras cinco histórias que fazem parte das última edição da linha MAX do Justiceiro.
A história escrita pelo romancista Victor Gischler (Wolverine) é muito bem escrita, nos levando aos remotos pântanos da região de Nova Orleans, com suas famílias esquisitas, crocodilos e cobras e tem um nível de violência comparado a época que Jason Aaron escrevia os roteiros. A arte do croata Goran Parlov (Y: OÚltimo Homem) é perfeita para o enredo, o enriquece mais ainda o trabalho com seus detalhes dos pântanos, é impressionante.
As outras cinco histórias que compõem o encadernado fazem parte da edição 75 da revista e é escrita por cinco roteiristas diferentes e desenhada por, também, cinco artistas diferentes, mas todos já tiveram passagem pela revista. Vamos a elas:

BONECAS (Dolls, Dez-2009)
Roteiro: Tom Piccirilli
Arte: Laurence Campbell
Frank Castle está de vigília em um traficante, quando surge uma menina perdida do pai. Então, enquanto vigia o traficante tem de ajudar a pequena a encontrar o pai.
Uma história simples, rápida e, de certa forma, interessante, pois em nenhum instante perde-se quem Frank Castle é, pelo contrário, um das cenas mais interessantes está no final da história. É muito legal ver como o novelista Tom Piccirilli conduz essa história, mostrando a calma e paciência de Castle, e os tom sombrios de Laurence Campbell enriquecem a história.

O MEDIADOR (Gateway, Dez-2009)
Roteiro: Gregg Hurwitz
Arte: Das Pastoras
Um mediador é uma pessoa que liga um assassino ao seu patrocinador, sem que eles tenham contato. É um trabalho sujo, mas ao qual eles são somente intermediários da sujeira, sem nunca ser pegos por causa disso, mas podem ser responsáveis pelas piores atrocidades, como o assassinato de uma família. O azar deles é ter a família de Castle como vítimas.
Gregg Hurwitz retorna nessa história e nos mostra como um mero mediador pode ser o pior de todos os criminosos, ainda mais quando ele se torna responsável pela morte da família de Frank Castle. A arte do espanhol Das Pastoras dá um aspecto bem bruto a história que tem um enredo bem interessante.

ABUTRES (Ghoul, Dez-2009)
Roteiro: Duane Swierczynski
Arte: Tom Coker
As pessoas tendem a querer ganhar dinheiro com qualquer coisa, até mesmo com um dos crimes mais famosos do Universo Marvel, que criou o Justiceiro. É assim que o sargento Hickey ganha uma grana extra, mas isso se torna um problema quando encontra-se com Frank Castle em pessoa.
Duane Swierczynski, em sete páginas, nos mostra como uma pessoa pode ser sem escrúpulos e imoral, usando um crime horrível para ganhar dinheiro. O desenhos de Tom Coker (Demolidor Noir), com seu jogo de luzes e sombras, dá o tom de sujeira e da história.

DIA DOS PAIS (Father's Day, Dez-2009)
Roteiro: Peter Milligan
Arte: Goran Parlov
Nos trinta anos que Frank Castle perdeu sua família, várias coisas ocorreram com ele, mas ele sempre teve uma coisa na lembranças, em suas memórias, sua esposa e seus filhos. São trinta anos punindo pessoas como os assassinos de seus familiares.
Nessa história, Peter Milligan narra na forma de uma carta que a filha de Castle estava escrevendo pouco antes da chacina ocorrer, quem ele era antes de tudo. A arte de Goran Parlov mostra cada um dos acontecimentos. Para mim é uma das mais belas histórias já escritas, mesmo com o tom de violência que possui, mas  a forma como Milligan decidiu contá-la, faz dela a melhor, na minha opinião.


A MENOR PARTE (Smallest Bit of This, Dez-2009)
Roteiro: Charles Huston
Desenhos: Ken Lashley
Arte-Final: Rob Stull
Frank Castle sempre viveu no limite entre a vida e a morte. Tudo começou há trinta anos, após a morte de sua família, durante um piquenique no Central Park. Desde essa época ele caça todos que se assemelham aos assassinos de sua esposa e seus filhos.
Essa história de Charles Huston (Wolverine: The Best There Is) fecha a revista que encerra a passagem do Justiceiro pela linha MAX. A história faz uma ligação entre uma luta de Castle contra criminosos e o dia da morte de sua esposa e filhos, finalizando com ele caído, quase morto, nos dois casos. Os desenhos de Ken Lashley (Esquadrão Suicida - Novos 52) com a arte-final de Rob Stull (Novos Mutantes - Vol. 2) dá o tom dessa história, lembrando um pouco o estilo prosaico que vemos nos quadrinhos, mas nem por isso deixando de ser rico e compondo bem as histórias.

As histórias da edição 75 tem como intuito nos mostrar os trinta anos de Frank Castle como Justiceiro e remetê-lo ao seu passado. São histórias que somente complementam o personagem, que sempre será o primeiro anti-herói dos quadrinhos.Justiceiro bem-vindo ao bayou