Translate

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Os Bórgia

the-borgias-1-temporada-williansallanblogAdoro falar para todos que sou um nerd. Nunca tive vergonha disso e nunca terei. Mas também sou um historiador, com muito orgulho, e por isso amo bons seriados históricos, mesmo que não sejam totalmente fiéis à História, eles sempre possuem um conteúdo digno de ser acompanhado, devido a vários fatos que são narrados. Isso ocorreu com Roma, Spartacus, Os Tudors e Os Bórgia. Este último foi produzido, dirigido – em alguns episódios – e criado por Neil Jordan (Entrevista Com O Vampiro).

Não esmiuçarei cada temporada de Os Bórgia, pois – infelizmente – somente tivemos três, tendo 10 episódios cada, mas nela acompanhamos a ascensão da família Bórgia em Roma. O patriarca da família, Rodrigo Bórgia (Jeremy Irons), nascido na Espanha, se torna o Papa Alexandre VI, tornando-se o Supremo Sacerdote e líder da maior religião europeia no século XV. Mas ao se tornar papa, Rodrigo consegue vários inimigos em várias partes da Europa, principalmente nos ducados próximos a Roma, como Florença, Milão e Nápoles, além de ter conflitos com a França e o Cardeal Giuliano Della Rovere (Colm Feore), que o acusava de sinomia (venda de favores e títulos para conseguir o papado). Mas, além do Papa Alexandre VI, existem mais duas figuras de grande importância para a história, e para os acordos que seriam firmados pelo papa, César Bórgia (François Arnaud) e Lucrécia Bórgia (Holliday Grainger). Ambos eram filhos da união de Rodrigo com a mantovense Vannozza dei Cattanei (Joanne Whalley), que também teve o primogênito Juan Bórgia (David Oakes) e o caçula Jofre Bórgia (Aidan Alexander).

Como os problemas sempre rondavam os Bórgia, durante seu “reinado” sobre Roma, vários acordos foram feitos, principalmente usando a jovem Lucrécia Bórgia como barganha. Mas além de usar Lucrécia, Rodrigo fez uso do nepotismo ao nomear seu filho mais velho, Juan, como comandante do exército papal, e tornou César cardeal, no intuito que este viesse a sucede-lo no trono papal. Inicialmente, devido aos problemas com o rei Carlos VIII (Michel Muller), incitado pelo cardeal Della Rovere, Rodrigo negociou o casamento de Lucrécia com Giovanni Sforza (Ronan Vibert), mas após acertasse com o rei Carlos VIII, desfaz o casamento, alegando que este não havia se consumado, iniciando um conflito com a família Sforza, em especial com Catarina Sforza (Gina McKee), que terminou sendo capturada e presa no cerco de Forli.The-Borgias-Showtime-A-Familia-Borgia

Lucrécia ainda veio a se casar com o jovem Alfonso de Biscegli (Sebastian de Souza), de Nápoles, em mais um acordo de seu pai com a província. Mas este termina sendo ferido mortalmente por César Bórgia, após ir à Roma para fugir da perseguição de seu primo, Frederico de Aragão (Luke Allen-Gale), rei de Nápoles, e termina assassinado – a pedido – por sua esposa, Lucrécia.

As atrocidades de César não começam nessa parte da história, pois ele se torna um dos principais personagens da série.

The-Borgias-Cesare-20483611-1500-2000César, como segundo filho da união de Rodrigo Bórgia e Vannozza dei Cattanei, estava destinado ao cargo religioso, mas isso nunca o satisfez. Grande estrategista, aprendeu a arte de matar com o mercenário Micheletto (Sean Harris), seu homem de confiança. Tinha enorme inveja de seu irmão Giovanni e morria de ciúmes de sua irmã Lucrécia, por quem nutria uma paixão ardorosa e determinada, a ponto de matar a todos que se pusessem em seu caminho. César matou o cavalariço Paolo (Luke Pasqualino), pai do filho de Lucrécia. Depois disso, no ímpeto de ascensão, assassinou seu irmão Juan Bórgia, abandonou o cargo de cardeal e se tornou um homem da guerra. Casou-se com Charlotte de Albret (Ana Ularu), com o consentimento do rei Luis XII da França (Serge Hazanavicius) e, com isso, conseguiu apoio da França para suas empreitadas e conquistas, sendo nomeado Duque Valentino. Um dos seus parceiros constantes, a partir da segunda temporada, é Nicolau Maquiavel (Julian Bleach), que também o ajuda a se tornar o maior dos príncipes daquele período.

Infelizmente a série foi interrompida na Terceira Temporada, impossibilitando uma conclusão devido à baixa audiência da série no canal Showtime. Mas é impressionante o conteúdo de pesquisa de Neil Jordan para a criação dessa série, que para mim, é uma das melhores séries históricas já lançadas para a TV por assinatura. Além de um enredo primoroso, a série contava com um elenco bem estruturado, até mesmo para os atores pouco conhecidos.

No elenco de Os Bórgia tínhamos atores das mais variadas regiões da Europa, mas o mais conhecido deles era o britânico Jeremy Irons. Extremamente conhecido por seus papéis de profundidade assombrosa ou então por ser um ator de uma versatilidade incrível, Irons caiu como uma luva para o papel de Rodrigo Bórgia/Alexandre VI. A construção dele para o personagem demonstrou um enorme respeito, como ele sempre demonstra em tudo que faz.The-Bórgia-T2-no-AXN-Black-HD-1

Outro grande destaque vai para o ator canadense François Arnaud que faz o papel de César Bórgia. Pouco conhecido, Arnaud havia feitos alguns filmes, mas sua ascensão foi em Os Bórgia, onde deu a “César o que é de César”. Ele deu força e determinação ao personagem e demonstrou intenso carisma e sagacidade em sua interpretação.

Mesmo com vários trabalhos na TV, entre filmes e seriados, a atriz britânica THE BORGIASHolliday Grainger era também pouquíssima conhecida, mas seu papel como Lucrécia Bórgia lhe deu o crédito necessário para demonstrar o quão bem ela se sai no papel da jovem que se torna a maior mercadoria de acordos da família Bórgia dentro do Vaticano. Ela, além de linda, tem um talento fantástico e demonstra o quanto uma personagem pode crescer dentro de uma série.

Os Bórgia era uma série que merecia, pelo menos, mais uma temporada para que pudesse se encerrar de forma adequada, mostrando a decadência que acontece aos Bórgia, posterior a conquista de Forli, que engrandece a lenda por trás de César Bórgia. Existem vários acontecimentos que muitos ficarão sem conhecer com o fim prematuro da série, como a morte de Rodrigo Bórgia. O terceiro casamento de Lucrécia com Alfonso D’Este, do Ducado de Ferrara. Sua nomeação temporária como papisa. A prisão de Leonardo Da Vinci por César Bórgia. Os problemas de César com o Papa Julio II, também conhecido como Giuliano Della Rovere, que era inimigo de sua família. A prisão de César e sua posterior morte em um campo de batalha. Se todas essas informações poderiam ser transpassadas em mais 10 episódio de uma quarta temporada, nunca saberemos, pois seu fim prematuro impediu-nos disso. Mas temos, em três temporadas, toda a ascensão de uma das famílias mais inescrupulosas que ocupou o Vaticano e tomou Roma e todos os ducados e províncias próximas a cidade se tornaram negócio de barganhas e acordos para a manutenção do “reinado” dos Bórgia.

AUT CEASER! AUT NIHILI!