Translate

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Amell X DC/Warner, isso existe mesmo?

Nos últimos dias muitos blog e sites vêm falando sobre uma possível insatisfação de Stephen Amell com a Warner Bros., mas eu gostaria de saber quantos sites e blogs, de verdade, conhecem os fatos do que rolou... presumo que poucos.
Vamos lá, primeiros chegamos a raiz dos fatos: Recentemente o presidente da Warner Bros veio a público anunciando as datas e os filmes que farão parte do universo cinematográfico da DC Comics, mas antes disse, o Chefe Criativo da DC Entertainment, Geoff Johns, veio a público anunciando que os universos do cinema e da TV - diferentemente da Marvel Studios - seriam separados, ou melhor, não teriam muita relação. Sendo assim, aconteceria a possibilidade de termos um novo Flash, bem como um outro Arqueiro Verde, e eis que a Warner anunciou que o ator Ezra Miller interpretaria Barry Allen/Flash nos cinemas, enquanto o ator Grant Gustin cuidaria disso na televisão. Lógico, houve uma balburdia por causa disso, sendo as mais acaloradas dizendo que o Flash não poderia ser gay (Miller é homossexual assumido). Com isso, lógico que o homem do momento, Stephen Amell, que tem uma das melhores séries de TV do momentos, Arrow, seria convidado e entrevistado sobre o fato. A entrevista foi dada ao TheStream.TV no Arrow After Show.Arrow After Show
Bem, na entrevista Amell fala ser um grande defensor de Grant Gustin e que gostaria que ele fizesse o filme, mesmo porque fazer um seriado é muito mais complicado do que fazer um filme, ainda mais que vem temporada e passa temporada, o ator tem que saber com o personagem não se tornar monótono e chato. MAS ele também fala que não gostaria de ver um filme interferindo no andar de um seriado, e chega a comentar - sem aparentar estar sendo diplomático, como certo blog mencionou - que teve uma conversa com Johns a respeito do futuro da DC, tanto no cinema, quanto na TV.
Durante toda a entrevista para o TheStream.TV, Amell não pareceu estar com raiva, nervoso ou mesmo contrariado com a Warner, a DC ou a CW (canal da Warner Bros.). Sim, ele defende Gustin. Sim, ele acredita que Gustin seria capaz de fazer um filme. Mas sendo mais esclarecedor, temos sua entrevista ao blog do Wall Street Journal, o Speakeasy, ao qual o Screenrant passou algumas partes que podem ser importantes, como:

"Sim. Claro. E eu sinto que deve ser Grant fazendo o filme. Mas a coisa importante a lembrar é só porque Grant Gustin desempenha o papel de Barry Allen não significa Ezra Miller também não pode interpretar Barry Allen. Pode haver diferentes interpretações do personagem. Qualquer um que é um fã de quadrinhos sabe que o personagem Flash é uma das forças que levam a universos paralelos.
"E quem sabe, eles podem encontrar um ator fantástico para interpretar Oliver Queen de outro jeito, que tem uma opinião diferente sobre o personagem. Eu sou, certamente, um desvio do típico Oliver Queen dos quadrinhos. Eu só acho que toda mundo precisa ser paciente com a coisa toda. O fato de que a DC e a Warner anunciaram todos estes critérios de quadrinhos não é senão bom para os negócios".

É sempre necessário se apurar os fatos. É sempre necessário saber do que está se falando. Amell sempre conheceu os planos de Johns, senão não teria mencionado isso na entrevista ao TheStream.TV. Amell gostaria de que fosse Gustin interpretando o personagem na telona, mas ele mesmo não se vê interpretando-o - não agora - na tela grande de um cinema. O que está faltando as pessoas que anunciam e publicam coisas na internet é se informar melhor.
Acredito que se fizessem isso, não soltaria tantas besteiras e coisas desnecessárias, material execrável, expurgantes, que faria ao lixo um favor muito grande se fosse jogado neles.
Sim, estou me expressando de forma ácida, pois não vejo a necessidade de termos informações adulteradas de material que nem todos podem ter acesso. Quando se fala algo, é necessário saber apurá-los.
Flash_v1_123Só para lembrar ao menos informados: A DC Comics possui o conceito de multiverso desde 1961, quando foi publicado em The Flash #123 a história "Flash of Two Worlds", que nos apresentava a Terra-1 (no Brasil, Terra Ativa) e a Terra-2 (por aqui, Terra Paralela). A partir daí, com a compra de outras editoras, foram surgindo outros universos, paralelos ao que todos acompanhavam. Esse conceito vem sendo usado há anos, não somente nos quadrinhos. Na TV, tínhamos um Superboy, enquanto nos filme de Christopher Reeve, somente na fase adulta que Clark Kent virou o Homem-de-Aço, apesar de já ostentar os poderes na adolescência. O mesmo ocorrera com Smallville e Superman Returns e Birds of Prey e os filmes do Batman de Schumacher, havia uma separação de ideias e conceitos dos personagens. O que a Warner está fazendo é dar continuidade ao que ela já faz há anos, pois não precisa ficar copiando dos outros.
Vale lembrar que, separando os universos do cinema e da TV, não possui a necessidade de uma continuidade ou o sucesso de um para o outro emplacar. Se as coisas derem erradas no cinema, o sucesso da TV está garantido. E mesmo Amell sabe disso, tanto que na entrevista para o WSJ ele diz:

"É difícil para eu querer ou imaginar um filme de Arrow quando estamos filmando o 10º episódio da nossa terceira temporada com mais 13 episódios pela frente e com toda a probabilidade mais 3 temporadas no outro lado dessa. Estou interessado em manter esse conteúdo fresco. Assim que chegar ao final da estrada, talvez então eu vou mudar o meu foco".

Então, peço àqueles que dividem conteúdos, que analisem bem os fatos que foram publicados. Procurem outras informações, outras fontes. Não "comprem" as informações, somente na intenção de difamar, pois quando essas são melhores pesquisadas, quem saem como vilões são vocês. Pensem no que escrevem e verifiquem antes de publicar.
Quem desejar ver a matéria do Screenrant, segue a seguir (em inglês): http://screenrant.com/the-flash-movie-grant-gustin-actor-justice-league/

O vídeo você pode ver logo abaixo (também em inglês).

Entrevista de Stephen Amell ao “Arrow After Show” do TheStream.TV