Translate

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

RESENHA OVERDOSE HQ: Justiceiro: As meninas de vestido branco

Publicado no grupo Overdose HQ em 30/10/2014.

RESENHA OVERDOSE HQ:

Justiceiro: As meninas de vestido branco
Título original: Punisher: girls in white dresses
Ano de publicação: 2009 (BR: 2011)
Editora: Marvel MAX (BR: Panini Books)
Roteiro: Gregg Hurwitz
Arte: Laurence Campbell
Pág.: 124

A pequena cidade mexicana de Tierra Rota, que faz fronteira com os Estados Unidos, vem sofrendo com o desaparecimento das mulheres de sua cidade. Então mandam um dos seus para pedir ajuda à Frank Castle, o Justiceiro.
Castle vai à cidade e termina se deparando com um intrincada rede de tráfico de drogas de metafetanima. E quando começa o banho de sangue, uma vítima inesperada quase o faz desistir dos seus trinta anos de punições que começaram após o assassinato de sua esposa e seus filhos.
Isso basicamente resume a história sem que eu entregue muito. O roteiro do escritor de best-sellers Gregg Hurwitz me fez lembrar, um pouco, do filme de western Sete Homens e Um Destino, onde um cidade mexicana é atormentada por um bando de ladrões e chamam sete homens para protegê-los dessa horda de bandidos, mas a diferença é que Frank Castle são esses sete homens.
Gostei muito da forma como abordaram o Justiceiro na linha MAX, da Marvel Comics, pois na linha ele não precisa ser censurado, então vemos tudo que mais gostamos nas história de Frank Castle, ou seja, cartéis de droga, muitos tiros e muito sangue jorrando, e a arte distorcida e rica em sombras de Laurence Campbell (Juiz Dredd: A História de Des Lynham) dá todo o clima tenso a trama. Sem contar que a arte das capas do genial Dave Johnson (101 Balas) enriquecem mais ainda o encadernado.
A história é retirada das revistas The Punisher MAX #61 a #65 e - ao contrário de como a Panini lançou aqui no Brasil, como Volume 1 - o encadernado corresponde ao volume 11 da coleção Frank Castle: The Punisher MAX.
Um fato curioso é que o roteiro poderia ser muito bem adaptado para um filme e a arte poderia servir como storyboard. É incrível como vê-se muito isso nas histórias em quadrinhos - que não sigam os padrões das linhas de super-heróis - hoje em dia.
Para quem gosta de uma boa história do Justiceiro, está aí uma boa pedida.Justiceiro_As-Meninas-de-Vestido-Branco