Translate

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Hércules: Anfiarau

Publicado no grupo Revista Mundo dos Super-Heróis em 23/07/2014.

A fidelidade de Steve Moore aos mitos helênicos foi tão grande que ele não criou nenhum personagem que, em algum momento, poderia ter cruzado com Hércules em suas aventuras e suas expedições, pois era a Era Heróica, monstros e desafios habitavam Gaia, fazendo surgir grandes heróis. Alguns deles acompanham Hércules no filme baseado na minissérie "Hercules: The Thracian Wars". Vamos a eles!

Anfiarau (G. Amphiáraos). Filho de Oiclés e de Hipesmestra, um adivinho famoso, protegido por Zeus e Apolo, e também um guerreiro e comandante valente e respeitador dos deuses. Mas, no início de seu reinado em Argos ocorreram distúrbios, e após um deles Anfiarau expulsou seu primo Ádrasto da cidade, depois de matar-lhe o pai, Talau. Posteriormente os dois primos reaproximaram-se, embora Ádrasto pensasse apenas em vingar-se de Anfiarau. Ádrasto induziu Anfiarau a casar-se com Erifile, sua irmã, e por iniciativa do primeiro os dois chegaram a um acordo que seria a perdição de Anfiarau: se ocorresse alguma divergência entre eles, Erifile seria o árbitro. Pouco tempo depois Ádrasto, que se comprometera com Polinices a reconduzí-lo ao trono de Tebas, pediu ao cunhado que participasse da guerra contra aquela cidade. Graças aos seus dons divinatórios, Anfiarau previu que o desenlace da guerra lhe seria funesto, e tentou remover Ádrasto de sua intenção. Policines, todavia, subornou Erifile oferecendo-lhe o colar de Harmonia, e Erifile, em sua posição de árbitro pronunciou-se a favor da guerra; fiel ao seu compromisso, Anfiarau juntou-se à expedição contra Tebas, apesar de sua relutância; antes, porém, de partir, mandou seus filhos jurarem que o vingariam no devido tempo, matando sua mãe e realizando contra Tebas um segunda expedição, que aocontrário da primeira seria vitoriosa - a expedição dos Epígonos ("sucessores").
De passagem por Neméia na marcha em direção a Tebas os heróis sentiram sede e perguntaram a Hipsipile (ama de Ofeltes, filho do rei da região) onde havia uma fonte; para indicar-lhes a fonte Hipsipile depôs o menino no chão, apesar de um oráculo haver declarado que não o deixassem entrar em contato com a terra antes de ele poder andar; nesse momento apareceu uma serpente e o matou. Anfiarau revelou aos companheiros que aquele presságio significava o fracasso da expedição, na qual todos os chefes morreriam; os expedicionários, entretanto, não se deixaram dissuadir e decidiram reiniciar a marcha. Antes, porém, instituíram jogos atléticos em honra de Ofeltes. Os próprios expedicionários participaram dos jogos (mais tarde chamados Jogos Nemeus), no quais o vencedor no salto e no lançamento de disco foi Anfiarau; ele também conseguiu, graças à sua eloquência, que os parentes de Ofeltes perdoassem Hipsípile. Finalmente os Sete Chefes chegaram a Tebas, onde os combates, nos quais Anfiarau se distinguiu, foram travados defronte das sete portas da cidade. Os atacantes foram derrotados, e Anfiarau fugiu para as margens do rio Ísmeno, onde Zeus, com seus raios, abriu à sua frente um abismo, que o engoliu com seu carro, seus cavalos e seu cocheiro. Depois Zeus lhe concedeu a imortalidade. Segundo a Tradíção Anfiarau passou a proferir oráculos em Ôropo, na Ática, já na condição de imortal.
Ian McShane interpretará Anfiarau:Ian_McShane-Amphiaraus