Translate

sábado, 4 de outubro de 2014

Batman faz 75 anos e tem muita história para contar-parte 1

Postado no blog Gothamita em 16/05/2014

detective comics #27O mês de maio começou e com isso chegamos ao mês em que a Detective Comics #27 era lançada com um novo personagem dentro dela, criado por Bob Kane e Bill Finger, Batman.

Tá, a revista chegou foi publicada com dois meses de antecendência (consta na Livraria do Congresso dos Estados Unidos da América que a publicação foi feita em 30 de março de 1939), mas vinha estampado em sua capa o mês de maio de 1939, ou seja, foi neste mês que pensavam em distribuí-la nas bancas.

Em sua primeira história, Bat-Man – como era inicialmente conhecido – lutava contra uma máfia da indústria química. Este Homem Morcego não tinha pudores, agindo com o próprio instinto e não tendo dó e nem piedade de nenhum banbido, deixando-os morrer, se necessário.

bob-kaneEle surge do mente do jovem Robert Kahn, que todos conhecem mais pelo pseudônimo Bob Kane (1915-1998). Seu personagem surgiu de um pedido da editora National Periodicals (hoje conhecida como DC Comics), após o sucesso do Superman na Action Comics #01, que fizessem-se novos super-heróis.

Fã do Zorro de Douglas Fairbanks, e assíduo telespectador de filmes de suspense e de detetives, Kane juntou sua admiração, mais a ideia de Leonardo DaVinci do ornitóptero, e concebeu seu personagem, mas ele ainda não era o Cavaleiro das Trevas que conhecemos, pois usava uma malha vermelha, máscara cobrindo somente os olhos, cabelos loiros e asas de morcego. Foi necessário a intervenção de Milton Finger, que todos conhecem como Bill Finger (1914-1974), antigo conhecido de Bob Kane nos tempos que trabalhava nos Estúdios Eisner & Iger, para o Batman ganhar sua forma total.

Bat-Man1939Máscara com orelhas de morcego, cobrindo o rosto parcialmente, deixando somente os lábios a mostra, malha cinza com um morcego estampado no centro, luvas roxas cobrindo as mãos, um cinto amarelo cheio de gadgets e uma longa capa que, quando esticada pela mãos do vigilante, dava aspecto de asas de morcego, assim era o Batman.

Sua origem somente foi contada na Detective Comics #33 (novembro de 1939). batman originO jovem Bruce Wayne saía com os pais de um cinema, quando foram abordados por uma ladrão que terminou matando o pai e a mãe de Bruce, deixando-o orfão. Neste dia ele jurou a si mesmo que faria de tudo para se tornar o maior combatente do crime, por isso treinou o corpo e a mente para se tornar o melhor, mas somente após um morcego entrar pela janela do escritório de sua mansão, foi que Bruce Wayne decidiu que deveria se vestir como um morcego.

BatmanYearOneEssa história ganhou outros aspectos com o passar dos anos: Bruce e seus pais haviam saído do filme “A Marca do Zorro” com Douglas Fairbanks. O assaltante, que ganhou o nome de Jor Chill, puxa o colar de pérolas da mãe de Bruce e, durante um confronto com Thomas Wayne, pai de Bruce, termina disparando a arma no desespero, no pai e na mãe de Bruce.

Em 1940, os editores da National pediram a Bob Kane que criassem um parceiro para o Batman, pois desejavam atrair leitores mais jovens. Nisso, Kane, Finger e o artista Jerry Robinson (1922-2011), conceberam o Robin. Detective Comics 38Quanto a quem criou o personagem existem várias controvérsias, mas o importante é que ele surge na Detective Comics #38, em abril de 1940, e é o jovem Richard Grayson, filho dos Grayson Voadores, que termina perdendo os pais após uma corda de sustentação dos trapézios ser cortada e eles tombarem para morte. Identificando com o jovem órfão, Bruce o coloca sobre sua tutela, o levando-o para sua mansão, treinando-o e tornando-o Robin, o Menino-prodígio.

Na sua aventura de estreia, Robin encara o assassino dos seu pais e, como o Batman, não tem piedade do bandido, deixando-o cair para a morte.

As histórias, com a entrada do Robin, se tornaram menos sombrias, lógico, mas o tom detetivesco não se perdia. No mesmo ano o homem-morcego ganha sua revista mensal: Batman.

Batman #1Na estréia desta surgem dois novos vilões: O Coringa e A Gata (posteriormente nomeada como Mulher-Gato). O primeiro, que também pairam dúvidas sobre a criação, teve como base o filme mudo de 1928 “O Homem Que Ri”, baseado na obra homônima de Victor Hugo (1802-1885), que trazia o ator Conrad Veidt interpretando o personagem do título que tinha o rosto deformado por uma sinistro sorriso. A segunda era uma ladra de jóias sensual, que anos depois viria a ser uma das maiores femme-fatales dos quadrinhos, vindo a se tornar até mesmo heroína e aliada do Batman.

Com o sucesso da revista e dos vilões, sugiram outros como: Cara de Barro I (1940), Pinguim e Espantalho (1941), Duas-Caras I (1942), Charada e Chapeleiro Maluco I (1948).

seduction of the innocentEntão, em 1954 é publicado pelo psiquiatra alemão Fredric Wertham (1895-1981) o enfadonho livro “Seduction of the Innocent”. O livro vinha falando que as revistas em quadrinhos eram os maiores responsáveis pelo comportamento e conduta transviada dos jovens daquela época, pois possuíam excesso de violência, pornografia e homossexualismo, e como exemplo deste último, citou a relação de Batman e Robin, respectivamente Bruce Wayne e Dick Grayson. Então a censura estadunidense pegou pesado com os quadrinhos, e para fugir das alegações insensatas de Wertham quando a relação de Bruce Wayne e Dick Grayson, foram criadas mais personagens femininas para acompanhar a dupla, fosse na identidade civil ou na de Batman e Robin.

Em 1955 surge a tia de Bruce Wayne, Agatha Wayne. Criada por Bill Finger e Sheldon Moldoff (1920-2012), ela vinha a ter uma curtíssima participação nas aventuras da dupla dinâmica. No mesmo ano surge Ace, o cão-morcego, que aparece como mascote de Batman e Robin e viria a fazer participações especiais esporádicas nas histórias. Em 1956, Bob Kane e Sheldon Moldoff decidem criar um interesse romântico para o Batman, a Bat-Woman. batwoman_bat-girlEla era Kathy Kane e surgiria na Detective Comics #233. Em 1961, Kethy ganharia uma sobrinha, Bette Kane, a primeira Bat-Girl. Mas com a adoção do Comics Code, as histórias do Batman tornaram-se insensatas e distoantes do que eram antes. A infantilização dos personagens fez com que perdessem o padrão de vigilantes noturnos e, a cada revista, traziam mais coisas espalhafatosas como Bat-Boy, Bat-Caveman, Bat-Ape, sem contar que o Batman enfrentava dinossauros gigantes, homens da caverna, alienígenas, até mesmo surge o grupo batmen of all-nationsBatmen de Todas as Nações, nesta época, onde vários heróis se inspiraram no Batman para formar um clube.

Cavaleiro e Escudeiro (Reino Unido), O Gaúcho (Argentina), Ranger (Austrália), Mosqueteiro (França), Legionário (Itália), Homem dos Morcegos e Corvo Vermelho (nativos americanos) e Alado (Suiça), eram membros do Clube dos Heróis e participaram de quatro aventuras com Batman e Robin: Em Batman v1 #65, quando Alado apareceu pela primeira vez; Batman v1 #86, quando Homem dos Morcegos e Corvo Vermelho apareceram pela primeira vez; Detective Comics v1 #215, quando o Clube de Heróis se juntou pela primeira vez; World’s Finest Comics #57, o segundo encontro dos Batmen de Todas as Nações. As histórias ocorreram, principalmente, nos anos de 1950, mas isso não conseguia alavancar as vendas das revistas, o que viria a mudar.